Comer Pouco Carboidrato Reduz a Pressão Arterial e Prescrições de Medicamentos

Comer Pouco Carboidrato Reduz a Pressão Arterial e Prescrições de Medicamentos

Uma nova pesquisa sugere que a baixa ingestão de carboidratos leva a melhoras significativas na pressão arterial e nos riscos cardiovasculares em pessoas com diabetes tipo 2.  

Cientistas do Reino Unido, incluindo o Dr. David Unwin, descobriram que, ao longo de dois anos, o consumo de uma dieta de baixo carboidrato levou à suspensão de 21,5 % de prescrição do total de medicamentos para pressão arterial entre os participantes. 

O Dr. Unwin, que ajudou a desenvolver o aplicativo Low Carb Program , aprovado pelo NHS , conduziu o estudo junto com pesquisadores do Reino Unido de Southport, Glasgow, Liverpool e Londres.

A equipe de pesquisa disse:

“Nosso trabalho ajuda a destacar como esta simples abordagem dietética também pode trazer melhorias adicionais e até agora relatadas para o aumento dos riscos cardiovasculares que as pessoas com diabetes tipo 2 e tolerância à glicose prejudicada enfrentam”. 

O estudo envolveu 154 pessoas com diabetes tipo 2 ou alto risco de diabetes tipo 2 que foram analisadas retrospectivamente com base em sua dieta. 

“Nós nos concentramos particularmente em aconselhar uma redução drástica no açúcar total da dieta, explicando que isso envolve não apenas reduzir o próprio açúcar de mesa, mas carboidratos ricos em amido, como pão, cereais e batatas que são feitos de glicose (na forma de amido), “escreveram os pesquisadores.

O efeito da baixa ingestão de carboidratos foi observado por dois anos, juntamente com o impacto sobre os fatores de risco cardiovascular dos participantes, como a hipertensão arterial. 

Houve “reduções significativas e substanciais” na pressão sanguínea, bem como no peso, e os participantes que consumiram menos carboidratos também apresentaram melhora nos perfis lipídicos (gordura no sangue). 

As descobertas existiram juntamente com a redução de 21,5% nas medicações para pressão sangüínea, e os pesquisadores agora querem testar suas descobertas em testes maiores. 

“Esta nova e potencialmente altamente eficaz modificação dietética, feita de forma muito barata, juntamente com os cuidados de rotina, oferece esperança que deve ser testada em um grande estudo prospectivo”. 

Os resultados aparecem na Revista Internacional de Pesquisa Ambiental e Saúde Pública .

Fonte: Diabetes News – Diabetes.co.uk- Por: Jack Woodfield, 12 ago 2019

Compartilhar: