Diabetes: a terapia genética pode normalizar os níveis de glicose no sangue?

Diabetes: a terapia genética pode normalizar os níveis de glicose no sangue?
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Fonte: Medical News Today, de 08/01/2018

Os pesquisadores podem ter encontrado uma maneira de restaurar os níveis normais de glicose no sangue em um modelo de diabetes tipo 1, o que pode revelar-se uma solução promissora para pessoas com diabetes tipo 1 ou tipo 2 no futuro.

Dr. George Gittes, professor de cirurgia e de pediatria na Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh na Pensilvânia, e equipe liderou o estudo. Suas descobertas foram publicadas na revista Cell Stem Cell .

A diabetes tipo 1 , uma doença autoimune crônica, afeta cerca de 1,25 milhões de crianças e adultos nos Estados Unidos.

O sistema imunológico que geralmente destrói germes e substâncias estranhas lança erroneamente um ataque às células beta produtoras de insulina que são encontradas no pâncreas, o que então resulta em altos níveis de glicose no sangue.

Ao longo do tempo, a diabetes tipo 1 pode ter um efeito significativo nos órgãos principais e causar doenças no coração , danos aos nervos, rins, olhos e pés, condições de pele e boca e complicações durante a gravidez.

Os pesquisadores na área de diabetes tipo 1 visaram desenvolver um tratamento que preserve e restaure a função das células beta, o que, por sua vez, reabastecerá a insulina, responsável por mover a glicose para às células para a  produção de energia.

Uma barreira a esta solução é que as novas células que surgem da terapia de reposição de células beta provavelmente também serão destruídas pelo sistema imunológico.

Para superar este obstáculo, a equipe levantou a hipótese de que outras células semelhantes poderiam ser reprogramadas para se comportar de forma semelhante às células beta e produzir insulina , mas que são diferentes o suficiente para não serem reconhecidas e destruídas pelo sistema imunológico.

Células alfa reprogramadas em células beta

A equipe criou um vetor viral adeno-associado (AAV) que entregou duas proteínas – Pdx1 e MafA – para o pâncreas de camundongos. Pdx1 e MafA suportam proliferação, função e maturação de células beta, e podem finalmente transformar células alfa em células beta produtoras de insulina.

As células alfa foram as candidatas ideais para a reprogramação. Eles são abundantes, semelhantes às células beta e localizadas no pâncreas, o que ajudaria o processo de reprogramação.

A análise das células alfa transformadas mostrou uma reprogramação celular quase completa para células beta.

Dr. Gittes e equipe demonstraram que em um modelo de diabetes de camundongos, os níveis de glicose no sangue foram restaurados por cerca de 4 meses com terapia genética. Os pesquisadores também descobriram que Pdx1 e MafA transformam células alfa humanas em células beta in vitro.

“A terapia de genes virais parece criar essas novas células produtoras de insulina que são relativamente resistentes a um ataque auto-imune”, explica o Dr. Gittes. “Esta resistência parece ser devido ao fato de que essas células novas são ligeiramente diferentes das células normais de insulina, mas não tão diferentes que não funcionam bem”.

O futuro da terapia genética do diabetes

Os vetores AAV estão atualmente sendo pesquisados em ensaios de terapia genética humana e podem ser entregues ao pâncreas através de um procedimento endoscópico não cirúrgico, eventualmente. No entanto, os pesquisadores advertem que a proteção observada nos camundongos não era permanente, e 4 meses de níveis de glicose restaurados em um modelo de camundongo “pode se traduzir em vários anos em seres humanos”.

“Este estudo é essencialmente a primeira descrição de uma intervenção simples e clinicamente traduzível simples em diabetes autoimune que leva a glicemia a niveis  normais”, diz o Dr. Gittes, “e, principalmente, sem imunossupressão”.

Um ensaio clínico em diabéticos de tipo 1 e tipo 2 no futuro previsível imediato é bastante realista, dada a natureza impressionante da reversão da diabetes, juntamente com a viabilidade em pacientes para fazer terapia genética AAV”.

Dr. George Gittes

Os cientistas estão testando a terapia genética em primatas não humanos. Se for bem sucedido, eles começarão a trabalhar com a Food and Drug Administration (FDA) para aprovar o uso em humanos com diabetes.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Compartilhar: