Enfermagem

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Pergunta:

Tenho Diabetes e agora apareceram feridas nos pés, que não querem melhorar.

Me falaram que eu posso até perder o pé, porque elas estão com pus e me dói. O que devo fazer?

Obrigado!

Samir Ulhoa , São Paulo

Resposta:

Sr. Samir,

Acredito que o mais importante é saber qual o grau de comprometimento da sua ferida, ou seja, fazer um diagnóstico do seu caso.

Para tanto, sugiro que procure um médico especialista, devido a dor referida, recomendo que procure um médico vascular.

Recomendo, também que seja o mais breve possível, pois, feridas em pés de pessoas com Diabetes evoluem muito rápido, como o senhor já deve ter observado.

Cuide dos seus pés!

Enfa. Vera Ligia Lellis Jacob, Colaboradora da Anad

——————————————————————————————————————————————————————————————————————————–

Pergunta:

Olá Anad,

Poderia por favor, me dar uma lista dos aparelhos para medir açúcar no sangue na ponta do dedo e indicar qual é o melhor?

Obrigado.

Irani Juvencio Martins , Santa Catarina

Resposta:

Prezado Sr. Irani,

Aqui na Anad temos os seguintes monitores de glicemia capilar:

• Roche (Accu-chek Active e Accu-chek Performa);

• J&J (OneTouch Ultra2, OneTouch Ultra mini e OneTouch Select Simple);

• Abbott (Free Style Freedom Lite e Free Style Optium New);

• Bayer (Breeze2 e ContourTS).

Todos os aparelhos são bons e precisos. Os resultados da glicemia ficam prontos rapidamente, em cerca de 5 segundos e o volume de sangue necessário para o exame é bem reduzido, em média 0,6 ul (microLib), não ultrapassando 1,2 ul.

Gostaríamos de convidá-lo a realizar uma visita da Anad, para conhecer os produtos.

Atenciosamente,

Enfa. Luiza Kiguchi, Enfermeira da Anad

———————————————————————————————————————————————————————————————————————————-

Pergunta:

Preciso de informações sobre agulhas de insulina, sei que tem muitas, de várias marcas e tipos, mas não sei qual é a melhor, que doa menos. Tenho 42 anos, 1,78 e peso 75 kg.

Tem algum modelo especial para mim?

Obrigado.

Onofre Carmelo , Rio Grande do Sul

Resposta:

Prezado Onofre,

As agulhas curtas ou “minis” são indicadas para qualquer diabético, independente do tipo físico. Geralmente, a aplicação de insulina com elas é mais confortável quando comparado à aplicação de insulina com agulhas longas. Caso você utilize seringa, dê preferência para agulhas de 8mm ou 6mm. Se utilizar caneta para aplicação de insulina, dê preferência para as de 6mm, 5mm ou 4,mm. Lembrando também, que além do tamanho da agulha, a sua não reutilização e o rodízio do local de aplicação são fatores importantes para minimizar possíveis desconfortos e dor.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha ,Enfermeira Educadora em Diabetes

———————————————————————————————————————————————————————————————————————————–

 

Pergunta:

Meu marido ficou cego em virtude do Diabetes.Gostaria de saber qual o mais indicado tipo de aplicador de
insulina no caso dele, pois fica muitas horas sozinho e precisa fazer a autoaplicação. Desde já agradeço.
Margareth M. R. Castro,São Paulo

Resposta :

Prezada Margareth,
No caso do seu esposo o mecanismo mais indicado é a caneta de aplicação de insulina.
As canetas possuem um dispositivo onde é possível ajustar a dose da insulina. Este mesmo dispositivo ao ser girado
para o ajuste da dose faz um “clique” a cada unidade que avança. Desta forma, seu marido pode fazer o ajuste da dosagem de insulina contando a quantidade de cliques que ele escutar, cada clique equivale a uma unidade de insulina.
Caso queira, no site da ANAD é possível assistir aos vídeos com as explicações sobre as mais diversas canetas de aplicação de insulina.
Acesse o endereço:
http://www.anad.org.br/Videos/Index_entr.asp
Atenciosamente,
Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Enfermeira Educadora em Diabetes

————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Sou DM1 há 19 anos… E há um ano fui contratada em uma empresa. Gostaria de saber sobre o armazenamento
da insulina em geladeira, no meu local de trabalho. Posso armazenar na cozinha comum ou tenho que separar em outra geladeira? Grata.
Luiza Vieira,Paraná

RESPOSTA:

Prezada Luiza,
Enquanto lacrada (sem uso),para que dure o prazo de validade descrito na embalagem,ela deve ser mantida em geladeira com temperatura entre 2 e 8 graus Celsius, preferencialmente em cima do gavetão de legumes, sem contato direto com as paredes da geladeira.Sugerimos que a separe dos alimentos utilizando um pote plástico fechado. Evite deixá-las na porta devido a grande variação de temperatura.Após o primeiro dia de uso, o prazo de validade é em média de 28 dias (verifique na bula da sua insulina), tanto para frasco quanto para o refil ou caneta descartável (armazenadas em geladeira ou não), portanto,é aconselhável que anote na caixa o dia de abertura da insulina, pois, ela deverá ser descartada após este período.Após o primeiro uso, a insulina pode ficar fora da geladeira
durante os 28 dias (em média,verifique a quantidade exata de dias na bula da sua insulina, pois, existe uma variação de dias entre os tipos de insulina),mas fique atenta as condições climáticas, pois, a insulina pode ficar em temperaturas de até 30 graus. Mais do que isso, pode haver mudança em sua eficácia. Mantenha em local fresco e arejado, longe de calor intenso e luz solar. Desta forma, não é necessário manter a insulina que está em uso na geladeira, exceto em dias muito quentes. Mas caso ainda assim você opte por mantê-la na geladeira, não é preciso de uma geladeira especial ou separada, apenas certifique-se de não deixar a insulina em contato com alimentos,
conforme a orientação anterior.
Atenciosamente,
Enfa. Kelly Rodrigues Rocha Enfermeira e Educadora em Diabetes

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Boa Tarde!
Existe uma “briga” entre os fabricantes de aparelhos onde cada um diz que seu método é melhor que o outro. Que o reagente A é mais eficiente que o B e nós usuários ficamos nesse jogo de empurra. Li na web que vocês emitiram um parecer sobre o assunto. Por isso pedi e se estivesse no site poderia ser mais fácil de encontrar.
Atenciosamente,
André Neiva,Espirito Santo

RESPOSTA:

Prezado Sr. André,
A ANAD (Associação Nacional de Assistência ao Diabético)segue as orientações emitidas pela FENAD (Federação Nacional das Associações e Entidades de Diabetes) para a orientação sobre a utilização de monitores de glicemia capilar (glicosímetros)e sua indicação aos portadores de Diabetes Mellitus.É de interesse que o diabético adquira produtos com certificação de qualidade e comprovação de acurácia que somente os glicosímetros produzidos por empresas idôneas e já consagradas no mercado possuem.Infelizmente hoje temos uma invasão de glicosímetros com
acurácia duvidosa e que não seguem as orientações emitidas pelo EMEA, FDA ou ANVISA. As orientações poderão ser verificadas pelo Sr. através do parecer técnico em anexo.Confirmada a qualidade do produto, o diabético deverá
fazer sua escolha pautado em suas necessidades individuais,escolhendo o glicosímetro que melhor o atenda. Salientando que a fidedignidade dos resultados obtidos se deve também ao seguimento rigoroso das orientações técnicas de manuseio fornecidas pelo fabricante.
Atenciosamente,
Enfa. Kelly Rodrigues Rocha Enfermeira e Educadora em Diabetes

PARECER:

Recomendações para a definição da escolha de produto na aquisição de glicosímetros e seus componentes.
Os glicosímetros ou monitores de glicemia capilar, fornecem uma rápida análise dos níveis de glicose no sangue, propiciando ao diabético a possibilidade de auto gerenciar sua saúde,assim, a auto monitoração da glicemia se torna de suma importância e um avanço no controle do Diabetes Mellitus.A oportunidade de ajustar a dose de insulina e/ou medicamento antidiabético oral e atividade física de acordo com a taxa de açúcar no sangue garante maior autonomia e senso crítico diante o controle do Diabetes, consequentemente, facilita o alcance de taxas de açúcar dentro da normalidade o que irá diminuir o risco de complicações crônicas e agudas da doença.Mediante o exposto, não é exagero dizer que os monitores de glicemia capilar são dispositivos médicos intimamente ligados à qualidade de vida do Diabético,e dos resultados apresentados por eles depende o controle da doença, uma vez quê:
• Em episódios de hiperglicemia ou hipoglicemia o diabético terá condições de avaliar qual a melhor conduta farmacológica (ou não) a ser tomada, tendo como objetivo que a taxa de açúcar no sangue volte a ficar dentro ou o mais próximo possível da normalidade (valores de referência).
• Viabiliza por exemplo, terapias como a Contagem de Carboidratos.
• Propicia ao médico e equipe multiprofissional de saúde avaliar a eficácias das condutas aplicadas, sejam elas
medicamentosas, alimentares,físicas e educativas.Dando subsídios para os ajustes necessários.
Portanto, a acurácia e eficiência dos monitores de glicemia capilar são imprescindíveis para garantir uma auto monitoração fidedigna e condizente com a realidade metabólica do diabético. Glicosímetros de baixa qualidade e com comprometimento técnico poderão induzir o diabético a erros de conduta que podem causar impactos catastróficos em seu controle glicêmico, incluindo risco de morte.Exemplificando: Caso o glicosímetro aponte falsos episódios de hiperglicemia, o diabético poderá administrar maior dose de insulina ou maior quantidade de medicamento oral do que o necessário, aumentando assim o risco de hipoglicemia,condição bastante severa quando não tratada a tempo e adequadamente.Caso o glicosímetro aponte falsos episódios de hipoglicemia, o diabético será induzido a se alimentar de forma incorreta (buscando a reversão da suposta hipoglicemia) e tomar medicamentos em menor quantidade do que o necessário, podendo assim, ir para um estado hiperglicêmico.Outra possibilidade é a de o glicosímetro apresentar falsos valores normais, cerceando a necessidade do diabético e equipe de saúde fazer os ajustes necessários para um bom controle glicêmico. Nesse caso,hiperglicemias frequentes certamente o levarão a ter as complicações crônicas da doença e as hipoglicemias poderão levá-lo ao coma e morte quando não tratadas a tempo.Embora os apontamentos apresentados pareçam hipotéticos,pode-se ilustrar os riscos mencionados com o caso de conhecimento público ocorrido no Estado de Minas Gerais que através de licitação distribuiu o glicosímetro Cepa GC, fabricado pela TaiDoc Technology Co. Taiwan para fornecimento e distribuição em suas unidades de saúde. Inúmeros foram os relatos e denúncias de erro no valor de glicemia apresentados pelo aparelho, induzindo diabéticos a administração errada de medicamentos,colocando sua saúde e vida em risco. Tamanho escândalo impulsionou a intervenção do Ministério Público do Estado de Minas Gerais que recomendou que Secretaria de Estado da Saúde recolhesse todos os aparelhos da marca Cepa GC distribuídos, uma vez que o mesmo não faz uma leitura homogênea quando comparado às outras marcas conhecidas.A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) notificou a empresa a prestar informações sobre o produto.Após pesquisa e análises, a Federação Nacional de Associações e Entidades de Diabetes visa conscientizar as Secretarias de Saúde para que aparelhos não confiáveis não ganhem licitações (por apresentar preços menores) em detrimento da qualidade e confiança. Sugerimos que os seguintes itens sejam levados em conta quanto à aquisição glicosímetros e seus componentes:

1. Que o monitor de glicemia utilize os critérios internacionais para comprovação de precisão dos testes de glicemia em relação ao método laboratorial de referência:
American Diabetes Association:15% de tolerância para qualquer valor de glicemia.
FDA: +/- 20 mg/dL para resultados inferiores a 100 mg/dL ou +/- 20% de tolerância para resultados superiores a 100 mg/dL.

2. Que os fabricantes devem apresentar estudos já publicados e informar se a acurácia de seus glicosímetros
encontram-se dentro das especificações sugeridas pela resolução International Organization for Standardization
(ISO) 15197:2003:“Para valores de glicemia menores ou iguais a 75 mg/dl devem-se obter 95% das leituras dentro de
um limite de variação de,no máximo, ± 15 mg /dl, e para valores maiores que 75 mg/dl, limite de variação de, no máximo, 20%.

3. Que se evite o uso de fitas reagentes de GDH-PQQ em unidades de saúde. Em 08 de outubro de 2013, a ANVISA
emitiu um alerta de tecno vigilância onde condena o uso de tecnologia de controle de glicemia que utilize a enzima GDH-PQQ. O FDA – Food and Drug Administration,órgão responsável pela regulamentação de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos, emitiu,no dia 13 de Agosto de 2009, alerta recomendando a não utilização de tiras que utilizam como reagentes a enzima GDH-PQQ, em ambiente hospitalar e unidades de saúde. O alerta pautou-se em Estudo conduzido entre os anos 1997 a 2009 e concluiu que o uso de fitas reagentes de GDH -PQQ (Glicose desidrogenase pirroloquinolina Quinona)uma vez que elas reconhecem Maltose, Galactose e Xilose quando presentes como sendo Glicose, induziram a leitura falsamente elevada da glicemia.

4. Que os fabricantes forneçam os materiais necessários para que se sanem possíveis dúvidas, tanto de pacientes quanto da equipe de saúde, como: Bulas, manuais,relatórios de avaliação do sistema.

5. Que os fabricantes disponibilizem a solução controle.A solução controle tem a finalidade de avaliar o desempenho
do glicosímetro e das tiras reagentes para medição de glicemia e deve ser utilizada, principalmente,quando houver questionamento por parte do paciente das medidas de glicemia capilar apresentadas.

6. Que os fabricantes estejam em concordância com as Boas Práticas de Fabricação emitidos pela ANVISA,FDA e EMEA.

7. Que os fabricantes apresentem Estudos Clínicos que comprovem a qualidade e eficácia do glicosímetro e que a quantidade de sujeitos de pesquisa esteja de acordo com o tipo de estudo.

8. Que os fabricantes tenham capacidade de treinamento para equipe de saúde e pacientes.

9. Que os fabricantes apresentem central de atendimento telefônico para esclarecimento de dúvidas e resolução de problemas.

10. Que escolha sistemas de manuseio simples, diminuindo os riscos de falha do operador.

11. Que os fabricantes e/ou empresas distribuidoras emitam atestado de capacidade técnica compatível com o volume licitado para comprovar a capacidade do fornecedor.

12. Que os fabricantes e/ou empresas distribuidoras forneçam educação continuada (treinamentos periódicos)
para garantir a correta execução do teste.

Prof. Dr. Fadlo Fraige Filho ,Presidente da Anad

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Tomo insulina Levemir e Novo Rapid e uso a caneta NovoPen 3, da Novo Nordisk e uso as agulhas da BD Ultra Fine. Gostaria de saber qual a diferença das agulhas BD Ultra Fine Nano e Ultra Fine Pentapoint, pois as especificações de ambas são iguais, ou seja, 4 mm (5/32”) e 0,23 mm (32 G), Grata.

Solange M. Casas Grotto , São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Solange,

Como bem observado, as agulhas tem o mesmo tamanho e calibre, no entanto, as agulhas com tecnologia PentaPoint possuem em sua ponta 5 facetas, diferente das demais agulhas que tem a ponta tri-facetada. O fato de possuir o bisel facetado em 5 partes torna inserção da agulha mais leve, com introdução mais fácil. De acordo com o fabricante, o uso de agulhas com tecnologia PentaPoint diminui em 23% a força empregada durante a aplicação da insulina, a penetração é mais suave e consequentemente o desconforto é diminuindo.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Enf. Educadora em Diabetes Coord. de Pesquisa Clínica

—————————————————————————————————————————————

PERGUNTA:

O médico do meu filho está trocando a insulina dele, está retirando a insulina NPH e a Regular ele vai passar a tomar a insulina Lispro e a Glargina. Essas insulinas são melhores que a NPH e a Regular? E como conservar a insulina Lispro e Glargina? Devo colocar na geladeira? Desde já agradeço. Muito obrigada!

Rosinei de Souza Silva, São Paulo

RESPOSTA:

Olá Rosinei!

A principal diferença entre as insulinas NPH e Regular e Glargina e Lispro é o tempo que levam para iniciar a ação no organismo e o tempo que seu efeito é mantido após aplicação. A insulina LISPRO é uma insulina de ação rápida, utilizada para o controle da hiperglicemia (alta quantidade de açúcar no sangue). A ação da insulina Lispro tem início em aproximadamente 15 minutos após a sua administração, podendo haver alguma variação entre indivíduos. A insulina Glargina tem em média 24 horas de efeito no organismo, contando a partir do momento da aplicação, o que permite uma única aplicação diária. Em contrapartida, a insulina NPH tem o tempo médio de atuação de 14,5 horas, motivo pelo qual são necessárias duas ou mais aplicações. Devido às variações mencionadas, é muito importante que siga rigorosamente o regime de horários e dose prescrita pelo médico endocrinologista de seu filho.Em relação ao armazenamento das insulinas Glargina e Lispro: Enquanto lacrada (sem uso), para que dure o prazo de validade descrito na embalagem, ela deve ser mantida em geladeira com temperatura entre 2 e 8 graus Celsius, preferencialmente em cima do gavetão de legumes, sem contato direto com as paredes da geladeira. Evite deixá-las na porta devido a grande variação de temperatura. Após o primeiro dia de uso o prazo de validade é de 28 dias, tanto para frasco quanto para o refil ou caneta descartável (armazenadas em geladeira ou não), portanto, é aconselhável que anote na caixa o dia de abertura da insulina, pois, ela deverá ser descartada após este período. Após o primeiro uso, a insulina pode ficar fora da geladeira durante os 28 dias, mas fique atento as condições climáticas, pois, a insulina pode ficar em temperaturas de até 30 graus. Mantenha em local fresco e arejado, longe de calor intenso e luz solar.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha ,Enf. Educadora em Diabetes Coord. de Pesquisa Clínica

————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Gostaria de informações sobre Bomba de Insulina. Existe alguma palestra ou material informativo?

Obrigado!

Salvador Giglio Neto, São Paulo

RESPOSTA:

Sr. Salvador.

Eu sou Mieco Hashimoto, da Medtronic Diabetes, responsável pelo departamento de Educação & Treinamento. Importante informar que o uso da bomba de insulina é uma indicação médica, portanto enviamos informações técnicas somente após a aprovação do médico. Existem protocolos médicos de indicação da terapia. Os médicos são exigentes na identificação do perfil do paciente e a Medtonic apoia e respeita todas as condutas médicas. Abaixo, informações gerais: A bomba de insulina é um mé- todo ajustável de injeção de insulina no subcutâneo para pacientes com Diabetes que necessitam de aplicações de insulina diárias. É uma alternativa às múltiplas injeções de insulina para atingir um melhor controle glicêmico. As aplicações tradicionais com seringas descartáveis, 3 a 5 ou mais, dificultam a rotina diária de trabalho, de estudo, de lazer, viagens. Os horários das aplicações são rígidas sendo necessário obedecer horários, qualidade e quantidade das refeições, exercícios físicos, horários para acordar. Aplicar 3 ou mais injeções por dia causa um grande stress. Essa terapia com aplicações com seringas descartáveis ou canetas de aplicação utiliza, em geral, 2 tipos de insulina: uma de ação intermediária ou lenta e outra de ação rápida ou ultra-rápida. Com a Bomba de Insulina é diferente: Usa somente 1 tipo de insulina: insulina ultra-rápida. Sua ação é previsível e não sofre variação de ação. Age imediatamente ao aplicar. Utiliza uma cânula de teflon, fina e flexível, que é mantida no subcutâneo durante 2 a 3 dias. Uma aplicação no subcutâneo a cada 2 ou 3 dias. Por ser fina e flexível é cômoda, confortável, sendo possível fazer todas as atividades diárias e de exercícios físicos sem comprometimento na infusão de insulina. A bomba de insulina infunde insulina de 2 formas:

BASAL – quantidade pequena de insulina que é programado na bomba e é enviado durante 24 horas. São fracionadas, sempre, em micro-doses de 0,05 ou 0,025 Unidade de cada vez (dependendo do modelo).

BOLUS – é a insulina que deve ser enviada nas refeições. O bolus é enviado imediatamente após a sua programação. Exemplo: antes do almoço, observar quantidade de carboidratos presentes, enviar a quantidade de insulina necessária para essa refeição. Igual a terapia com seringa, com o grande diferencial que não é necessário uma inje- ção. É só informar a glicemia capilar e quantidade de carboidratos que irá comer e a bomba da Medtonic irá calcular o quanto de insulina você precisa no momento. Fará a conta e irá mostrar na tela da bomba quantas Unidades de insulina precisará, o paciente somente confirma a quantidade de insulina teclando um botão e a insulina Bolus é enviada de imediato. A bomba de insulina oferece outras vantagens no envio de basal e bolus. Os basais podem ser programados dependendo da necessidade, por exemplo: diminuir a quantidade durante exercícios físicos, aumentar a quantidade de insulina para pessoas que tem hiperglicemia noturna ou qualquer outro período, diminuir a insulina para quem tem hipoglicemia noturna ou em qualquer outro período. Assim, os riscos de hipoglicemias são muito reduzidos. Os bolus também podem ser enviados de 3 formas diferentes dependendo da refeição.                               Por exemplo: refeição normal; durante uma festa (refeição mais prolongada); refeição tipo feijoada, pizza. Com a bomba de insulina, não existe rigidez de horários: ao acordar, nas refeições, prática de exercícios, nas viagens. A bomba oferece total flexibilidade na rotina. A pessoa com Diabetes volta a ter controle das suas atividades. A automonitorização da glicemia é fundamental para o sucesso da terapia com a bomba de insulina. No início, primeiras semanas, é necessário 8 “pontas de dedo” para o médico ajustar as doses de basal e bolus.A bomba envia micro-doses de insulina ultra-rápida durante 24 horas, sem variação na absor- ção, isto é, sua ação é totalmente previsível. Aliada à automonitorização a terapia com bomba pode oferecer um excelente controle glicêmico. As bombas de insulina da Medtonic PARADIGM tem uma grande vantagem de disponibilizar a possibilidade de usar um SENSOR DE GLICOSE no tecido subcutâneo. São 288 leituras da glicose em tempo real. São enviadas para a bomba de insulina Paradigm e o paciente acompanhada a variação da concentra- ção da glicose. PROTEGE o paciente de hipos e hipers. As glicemias capilares são fundamentais no processo de leitura dos sensores de glicose. Os sensores não substituem as glicemias capilares! Os sensores mostram a tendência de hipo ou hiper. Se o seu médico precisar de informações específicas dos produtos Medtronic ou visita de um representante, por favor, nos informe.

Atenciosamente,

Enfa. Mieco Hashimoto

—————————————————————————————————————————————

PERGUNTA:

Gostaria de saber se essa Associação respeitada e idônea, disponibiliza mapa para aplicação de insulina? Sou responsável técnica de uma unidade de Saúde do Município de Diadema e estamos promovendo grupos de insulino dependentes na unidade, temos uma média de 177 e em um destes encontros nos foi solicitado mapa para aplicação de insulina. Por este motivo venho, saber se poderia disponibilizar esse material para nossos usuários e até mesmo comparecer em um dos nossos grupos para assim podermos nos atualizar e receber algumas dicas para podermos oferecer uma assistência de excelência aos nossos clientes. Certa de sua atenção, aguardo retorno.

Vanessa Vargas , São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Vanessa,

Você quer dizer o cartão para os locais de aplicação de insulina? O nome correto é Régua para Aplicação de Insulina, é para o rodízio das aplicações. Eles existem sim. A Aspen Pharma 0800-0262395 produz, e também a BD 0800-0555654. Nós não temos, em quantidade para fornecer, mais você pode ligar e pedir. Não é possível enviar profissionais para fora da ANAD, mas você pode vir passar o dia aqui e conhecer tudo. Para os profissionais de saúde com Nível Universitário temos um Congresso em julho que poderá ser muito útil.

Consulte o site: http://www.anad.org.br/congresso

Atenciosamente, Equipe Anad

—————————————————————————————————————————————

PERGUNTA:

Gostaria de saber… Quando se extirpa o íleo (parte do jejuno), o aparelho digestivo diminui mais a absorção de carboidratos (lipídios) do que a absorção de proteínas? Por quê? O Brasil é tido como uma referência em excelência de qualidade em transplante de rins, mas ainda engatinha em termos de transplante de fígado e em matéria de transplante de intestinos. Por quê? Como se formam as cadeias de peptídeos, as pontes de enxofre na molécula de insulina? Gordura prejudica mais o organismo do que açúcar. Por quê? Qual a função das cadeias de peptídeos, das pontes de enxofre na molé- cula de insulina? Como o pâncreas adquire resistência a alimentos de alto índice glicêmico? Quem é o maior vilão da Nutrição no combate a obesidade: a insulina ou a glicose? Tem razão quem acha que a causa do Diabetes é o açúcar? Ilhotas de Langerhans secretam insulina. Como? Dieta que estimula a produção de glucagon e reduz a produção de insulina é mais benéfica para a saúde do que dieta que incita a produção de insulina e diminui a produção de glucagon. Por quê? Adiponectina aumenta a sensibilidade à insulina. Como? Por quê? Lipopolissacarídeo causa resistência a insulina. Como? Por quê? Que alimentos estimulam a produção de glucagon? O nível de grelina no sangue aumenta quando se jejua. Por quê? Fósforo bloqueia a absorção de cálcio, ferro, magnésio, zinco, cobre. Por quê? Como? Magnésio bloqueia a ação do cálcio. Como? Por quê? Grelina estimula o apetite. Como? Após a ingestão de lipídio/prote- ína, a taxa de grelina na corrente sanguínea aumenta. Por quê? Ficar de cócoras, agachado, sentado sobre os calcanhares, é melhor do que ficar com o corpo em noventa graus, com os joelhos levemente flexionados, na posição atual que nós ficamos normalmente quando defecamos, pois de cócoras pressionamos o fim do cólon sigmóide e as fezes são eliminadas sem que façamos força, o que não acontece quando o corpo fica em noventa graus e os joelhos levemente flexionados. Tal explanação para que melhor defequemos as fezes sejam eliminadas naturalmente pelo organismo procede? Tem fundamento? Que livro é considerado a bíblia da Diabetologia?

Responda quando puder por gentileza. Não precisa responder todas as questões de uma só vez. Escopo das interrogações: esclarecimento.

Renato Monteiro , Paraná

RESPOSTA:

Prezado Renato,

A maioria de suas dúvidas pode ser esclarecida em compêndios de bioquímica no capítulo referente a metabolismo e carboidratos. Sobre defecação, possivelmente tenha alguma razão a posição de cócoras por comprimir os intestinos, porém do ponto de vista prático não existe diferença com a posição sentado, visto que inúmeros fatores são mais importantes na fisiologia do intestino e seu funcionamento, tais como, teor de fibras da alimentação, hidratação, constituintes macro nutrientes na dieta, estado geral do organismo e comorbidades se existentes.

Atenciosamente,

Equipe Anad

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Meu último exame de Hemoglobina Glicada deu um resultado de 5.6; É considerado pré-Diabetes? Tenho mantido uma dieta basicamente sem açúcar e com exercícios físicos de 2ª a 6ª feiras.

Atenciosamente,

Gilka Vânia Lima Maciel ,São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Gilka,

Não, pré-Diabetes é de 5.7% a 6.4% da hemoglobina glicada A1C, se seu hemograma for normal.

Atenciosamente,

Equipe Anad

—————————————————————————————————————————————

PERGUNTA:

Tenho um filho de 11 anos diabético e estou com dificuldade na alimentação e ele não quer tomar a insulina. Preciso de uma caneta para aplicação da insulina NPH como eu compro esse produto?

Obrigado.

Claudio Roberto , São Paulo

RESPOSTA:

Prezado Claudio,

Se você mora em São Paulo venha à Anad onde além de comprar a caneta, receberá todas as informações para sua utilização. Se for em outro estado ligue para o Laboratório Farmacêutico que produz a caneta e se informe. Atenciosamente,

Equipe Anad

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Olá, estou com uma dúvida e gostaria da opinião de vocês. Para a aplicação da insulina que está na geladeira eu devo retirá-la antes um pouco para não aplicar gelada demais ou não? Obrigada pela resposta.

Ana Valéria S. Pires ,São Paulo

RESPOSTA:

Olá, Ana Valéria,

Sim, é preciso retirar a insulina da geladeira 30 minutos antes da aplicação para diminuir o incomodo e dor. Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Enf. Educadora em Diabetes Coord. de Pesquisa Clínica

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Produto: Diabet TX, laboratório Genoma Laboratório Internacional Goicochea. Esse produto tem o selo da ANAD. Gostaria de saber se ele é autorizado. Usei o creme que me deu uma alergia terrível que passados 3 meses ainda permanece. A fórmula inclui a capsicum Anuun, que é pimenta habanera a mais ardida do mundo. Abri um processo na ANVISA que depois de algum tempo respondeu que a pimenta é recomendada para cosméticos pode?

Arnaldo Correa de Pontes ,São Paulo

RESPOSTA:

Prezado Sr. Arnaldo,

A presença do extrato de Capsicum annuum em produtos de uso cosmético, como o Goicoechea® DiabetTX, é permitida pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O extrato de Capsicum annuum está presente na composição do produto Goicoechea® DiabetTX na concentração de 0,01% e tem a função de estimular a microcirculação. Estudos clínicos realizados com voluntários demonstraram que o produto é seguro e eficaz quando utilizado conforme as orientações descritas em seu rótulo. No entanto, podem ocorrer reações indesejáveis, como irritação da pele, em um pequeno percentual dos usuários do produto. Com relação às reações indesejadas, a orientação dada pela empresa é: “Em caso de irritação, suspenda o uso”. Caso ainda julgue necessário procure o auxílio de um médico para tratamento sintomático. Se desejar, o SAC da Genomma Lab. está à disposição para esclarecer qualquer dúvida adicional e orientá-lo a respeito de qualquer sintoma indesejado com o uso do produto, basta informar um telefone ou outro canal de contato.

Atenciosamente,

Michelle Marinho, Supervisora de Assuntos Regulatórios – Genomma Lab. do Brasil

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Gostaria de saber em relação à monitorização capilar, quais os locais possíveis de punção além de ponta de dedo? Poderia ser ponta de dedo do pé? Se não, qual o motivo e quais os outros locais caso não seja possível fazer a punção na ponta de dedo da mão?

Rilena Pires, Paraíba

RESPOSTA:

Prezada Rilena,

Alguns glicosímetros apresentam mecanismos que possibilitam a utilização de locais alternativos para a realização do teste de glicemia capilar (é preciso verificar o manual do glicosímetro). De acordo com a marca existem algumas variáveis, no entanto, geralmente aparelhos que permitem a utilização de locais alternativos indicam a utilização de panturrilhas, antebraços, lóbulo da orelha e palma das mãos. Outros locais, como dedos dos pés não tem indicação, uma vez que não foram realizadas pesquisas que indicassem a fidedignidade dos resultados quando comparados aos outros locais de punção.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha ,Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————

PERGUNTA:

Senhores,

minha mãe tem Diabetes e tem que fazer teste de glicemia (cinco) vezes ao dia gostaria de saber se é feito somente nos dedos da mão ou se pode ser em outro local. Tenho para doar também três caixinhas de agulhaas para aplicação de insulina. Gostaria de saber se ela tem direito a adoçante de graça.

Grata!

Andréia, São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Andreia,

Alguns monitores de glicemia apresentam sistema LAT (teste em local alternativo), esta informação está disponível no manual dos aparelhos. No caso destes monitores, é possível realizar os testes utilizando outras partes do corpo, tais como: antebraço, panturrilha, palma da mão e coxa. Entretanto, existem algumas ressalvas quanto à realiza- ção de testes LAT, sendo que o teste feito na ponta dos dedos mostra mais rapidamente as variações glicêmicas quando comparado ao teste realizado em local alternativo, assim, a recomendação é que testes LAT somente devam ser feitos em diabéticos com a taxa de glicemia bastante estável, sem grandes oscilações entre hipoglicemias e hiperglicemias. Desta forma, sempre que desconfiar que esteja em um episódio de hipoglicemia ou hiperglicemia, o diabético deve realizar o teste na ponta do dedo. Portanto, é imprescindível que avalie primeiramente se o monitor de glicemia de sua mãe apresenta sistema compatível para testes LAT e depois se ela mantém a taxa de açúcar no sangue estável e controlada.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Preciso comprar um medidor de glicose. Vocês poderiam me indicar o melhor, que seja confiável? Tenho lido vários textos e fiquei mais confuso.

Grato! Carlos A. Cardoso, São Paulo

RESPOSTA:

Prezado Carlos,

Sugerimos que venha até a ANAD onde encontrará todos os modelos disponíveis das 4 marcas confiáveis que são ABBOTT, Johnson e Johnson, Bayer e Roche. Aqui também encontrará os melhores preços e orientação de uso, e então poderá escolher o que melhor lhe convier.

Atenciosamente,

Equipe ANAD

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Gostaria de saber se uma lanceta com menor profundidade diminui a dor do paciente e se a quantidade de sangue é suficiente para a realização do teste de glicose capilar.

Obrigada!

Cleusa M. Santos, Rio de Janeiro

RESPOSTA:

Prezada Cleusa,

As lancetas normalmente seguem um padrão de 28 G de calibre, desta forma, a dor durante a punção capilar está mais relacionada a profundidade que a lanceta alcança durante sangue, portanto, a punção poderá ser mais superficial. O ideal é que se escolha a profundidade de punção do lancetador levando em consideração a espessura da pele e o tipo de glicosímetro. Na prática, costumamos verificar junto ao paciente durante o teste, qual a menor profundidade de pun- ção capaz de obter a amostra de sangue suficiente para a realização correta do exame. Após o procedimento, é possível identificar a melhor maneira para a realização e assim, orientamos qual procedimento ele deverá adotar em seu dia a dia.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Educadora em Diabetes da Clínica de Pesquisa Prof. Dr. Fadlo Fraige Filho

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Eu posso hidratar os pés de um diabético usando produto a base de Uréia?

Silvia Garcia ,São Paulo

RESPOSTA:

Silvio,

os melhores hidratantes para os pés são os cremes a base de uréia, mas, a percentagem máxima na composição não pode exceder a 10%, porque neste caso ele tem efeito esfoliante, ou seja, vai descascar a sua pele.

Espero ter lhe esclarecido.

Enfa. Vera Ligia Lellis Jacob ,Enfermeira Podiatra

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Olá. Tenho 19 anos e sou diabético desde os 9. Faço uso de insulina com aplicação via caneta e gostaria de utilizar a bomba de infusão. Porém antes de solicitar ao governo onde pego medicação gostaria de testá-la pra ver se me adapto e gostaria de auxílio nessa questão. Se existe algum órgão ou alguma indicação para que eu possa experimentar o aparelho antes de solicitar ao Estado. Vocês podem me ajudar?

Obrigado!

Felipe Silva ,São Paulo

RESPOSTA:

Sr. Felipe,

Sou Mieco Alice Hashimoto, gerente de educação e treinamento da Medtronic Diabetes, e gostaria de esclarecer as suas dúvidas. Informo que a Medtronic oferece um mês de uso da bomba de insulina Paradigm para os pacientes indicados por médicos endocrinologistas. Por favor, informe seus dados pessoais (nome completo, idade, endereço completo com cep e nome + fone do médico endocrinologista). Se por ventura, o senhor não tiver a indicação formal do seu médico, a nossa equipe poderá contatá-lo e informar o seu interesse na terapia com bomba de insulina.

Atenciosamente,

Mieco Hashimoto Ger. Educação & Treinamento Diabetes

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Olá, gostaria de receber orientação e apoio. Sou diabético há mais de três anos e dependo de insulina. Nos últimos meses não tenho recebido insulina em quantidade suficiente para minhas duas aplica- ções diárias de 20 e 10 unidades, manhã e noite, respectivamente. A Central de Distribuição de Medicamentos da cidade onde resido atualmente me fornece 01 frasco de 1.000 unidades, sendo que o médico receitou 02 frascos. Em teoria, 900 unidades seria o suficiente para 30 dias, no entanto, há sempre certa quantidade de insulina que fica na seringa, da ponta da agulha ao primeiro traço marcador das unidades. Assim, com esse desperdício, 1.000 unidades (01 frasco) não é suficiente para 30 dias. A quantidade de insulina que recebo dura em torno de apenas 20 ou 22 dias. Não posso passar nem um dia sem as aplicações de insulina, pois a glicemia sobe descontroladamente colocando minha vida em risco.

Como posso me conduzir nessa situação?

Euzébio Rodrigues, Maranhão

RESPOSTA:

Prezado Euzébio,

De acordo com o seu relato, imagino que esteja utilizando seringas de insulina com agulhas removíveis, aquelas que precisamos encaixar no corpo da seringa. Esse tipo de seringa possui o que chamamos de espaço residual ou espaço morto, local no encaixe entre a seringa e a agulha onde após a aplica- ção, uma pequena quantidade de insulina permanece não utilizada. De acordo com a literatura, são perdidas em média 5 unidades de insulina no espaço residual das seringas de insulina com agulhas removíveis. Em um cálculo aproximado, se você faz duas aplicações diá- rias de insulina, perde-se no espaço residual da seringa até 10 unidades de insulina / dia. No final do mês terá perdido 300 unidades de insulina. Como muito bem explicado por você, não se pode negligenciar as aplicações diárias, elas são imprescindíveis para seu tratamento, além disso, as 300 unidades de insulina que literalmente vão para o lixo, acarretam um ônus desnecessário para a saúde pública. Portanto, caso mesmo após seu médico ter solicitado dois frascos de insulina os mesmos não sejam fornecidos, sugiro que solicite o fornecimento de seringas de insulina com agulhas fixas. Esse tipo de seringa tem a agulha embutida, não há espaço residual, logo, não há perda de insulina e consequentemente 1 frasco de insulina com 1000 UI será o suficiente para o seu tratamento mensal.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Rocha, Educadora em Diabetes da Clínica de Pesquisa Prof. Dr. Fadlo Fraige Filho

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Prezados Senhores,

Minha mãe tem Diabetes e usa insulina. Gostaria de saber sobre aquisição das seringas ultrafinas BD. Como funciona a aquisição através da Anad? Moramos no interior. Há possibilidade de envio? Quanto a seringa mais apropriada, informo que ela toma 23 Unidades de manhã (NPH) e 7 Unidades no almoço (R). Desde já agradeço e aguardo as informações, bem como o preço praticado por essa Associação. A fabricante da BD é quem indicou V.Sas. Atenciosamente,

Nilson D. B. Oliveira ,São Paulo

RESPOSTA:

Sr. Nilson,

Podemos  enviar as seringas através de sedex à cobrar. Basta entrar em contato conosco, solicitar o preço do produto, efetuar depósito (Banco Bradesco – Ag. 108-2, c.c 161161-5), nos enviar o comprovante do depósito, informando nome completo, endereço, RG e CPF que enviaremos por correio. O senhor receberá um aviso para retirada nos correios e pagará o serviço de correio. Quanto ao preço das seringas, o pacote com 10 unidades é R$ 21,70. Para a quantidade de insulina mencionada é adequado que adquira seringas BD de 30 unidades ou 50unidades, ambas possuem escala de graduação de 1 em 1 unidade (cada traço na seringa equivale a uma unidade de insulina), assim, é possível aspirar quantidades impares de unidades de insulina, como é a necessidade de sua mãe.

Atenciosamente,

Enfa. Kelly Rodrigues Educadora em Diabetes / Coordenadora de Pesquisa Clínica Endocrinologia Prof. Dr. Fadlo Fraige Filho .

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Bom dia. Preciso de auxilio na orientação do caso a seguir. Paciente com 52 anos, possui dificuldade na aplicação de insulina, não tem parentes que possam auxiliar, seria possível deixar as insulinas preparadas nas seringas, e quanto a estabilidade? Esse preparo seria realizado pela equipe de Saúde.

Atenciosamente,

Bianca Almeida Gama ,Rio Grande do Sul

RESPOSTA:

Prezada Bianca,

Para casos em que o paciente tem dificuldades na aspiração de dose, e/ou problemas de acuidade visual, o ideal seria que tivesse à disposição canetas para aplicação de insulina. Caso não seja possível, pode-se preparar as seringas (o ideal é que se prepare o suficiente para no máximo uma semana), e armazená-las na geladeira, retirando cada seringa com 30 minutos de antecedência da aplicação. Lembrar o paciente de fazer a homogenização antes de aplicar no caso da insulina NPH.

Atenciosamente,

Kelly Rodrigues ,Enfermeira Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Gostaria de tirar uma dúvida, minha mãe toma a insulina NPH e a regular. Minha dúvida é a seguinte de manhã em jejum nós temos que medir e aplicar a NPH e a médica passou um esquema que se der mais alto que os valores que ela passou temos que aplicar a regular na quantidade que está marcada no esquema. Minha dúvida é a seguinte podemos misturar as duas e aplicar de uma só vez? Se não podemos usar a mesma agulha para aplicar a outra dose? Obrigada, aguardo resposta!

Atenciosamente,

Leandra , São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Leandra,

As insulinas NPH e Regular podem ser misturadas na hora do preparo da seringa. Siga as orientações: Lembre-se dos passos iniciais: a. Lavar as mãos com água e sabão. b. Separar a seringa e as insulinas. c. Rolar o frasco de insulina de aspecto leitoso (NPH), levemente entre as mãos, por no mínimo 20 VEZES, para garantir ação correta da insulina. d. Limpar a borracha dos frascos com álcool 70%.

Técnica de Mistura de Insulinas:

1. Introduza uma quantidade de ar na seringa igual à dose de insulina NPH prescrita pelo seu médico.

2. Injete o ar dentro do frasco que contém a insulina NPH. Sem extrair a insulina, retire a agulha.

3. Introduza uma quantidade de ar na seringa igual à dose de insulina REGULAR ou ULTRA RÁPIDA prescrita pelo seu médico.

4. Injete o ar dentro do frasco que contém insulina REGULAR ou ULTRA RÁPIDA.

5. Neste momento começa a aspiração da insulina: vire o frasco e aspire a insulina lentamente até a marca da escala que indica a quantidade de insulina REGULAR/ ULTRA RÁPIDA prescrita.

6. Retorne o frasco para a posição inicial e retire a agulha lentamente.

7. Pegue o frasco de insulina NPH. Com a mesma seringa que já contém a insulina REGULAR/ ULTRA RÁPIDA, introduza a agulha nesse frasco de insulina NPH, segurando no corpo da seringa para não perder a insulina Regular/ Ultrarrápida que está na seringa.

8. Aspire lentamente a insulina NPH prescrita. O total preparado dentro da seringa deve corresponder à soma das insulinas NPH + REGULAR / ULTRARRÁPIDA prescrita pelo seu médico.

9. Retire a agulha do frasco, e prossiga seguindo as mesmas recomendações citadas na técnica de aplicação de insulina.

Observação: Se a retirada foi maior que a necessária, em hipótese alguma o excesso deve ser devolvido ao frasco. Devem-se descartar as insulinas da seringa e reiniciar o procedimento.

Atenciosamente,

Enf. Kelly Rodrigues Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Gostaria de uma opinião da ANAD sobre a diferença das tiras embaladas individualmente e as tiras em frasco, elas alteram resultado da glicemia ou tem alguma eficácia no manuseio, tenho muitos pacientes que levam no dia a dia para o seu passeio ou trabalho.

Aguardo resposta breve.

Roseli A. Y. Moreira , São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Roseli,

Tanto as tiras reagentes embaladas individualmente, quanto as comercializadas em frasco são seguras e apresentam resultados de glicemia fidedignos, desde que armazenadas e manuseadas de maneira adequada. Devemos orientar o paciente quanto ao modo correto de manusear as tiras reagentes, sejam elas embaladas individualmente ou em frasco. Devemos explicar sobre a necessidade de evitar a exposição à luz solar, umidade, manipulação das tiras com as mãos sujas ou molhadas, não deixar os frascos ou invólucros abertos e ficar atentos ao prazo de validade. A escolha do tipo de tira reagente / monitor de glicemia deve ficar a cargo do paciente, para o que ele se sentir mais seguro e tranquilo. Utilizando da maneira correta, todas as tiras são adequadas, tanto para pacientes que fazem testes apenas em casa, quanto para os que necessitam fazer testes de glicemia em passeios ou trabalho. Atenciosamente,

Enf. Kelly Rodrigues, Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Bom dia.

Sou usuário de insulina NPH, e terei que me deslocar para Macei/AL, moro em Alvorada/ RS, como devo proceder para transportar a insulina até aquela cidade? Viajarei de avião. Ouvi dizer que a trepidação em excesso pode inativar o conteúdo do medicamento, isto é verdade?

Obrigado por sua atenção.

Mauro Lima, Rio Grande do Sul

RESPOSTA:

Prezado Mauro Lima,

As insulinas apresentam boa estabilidade e tem sua ação biológica preservada, desde que sejam seguidas as orientação de conservação e transporte. As insulinas em uso, podem ser mantidas na geladeira (entre 2 e 8ºC), ou em temperatura ambiente (15 e 30ºC), em local fresco, ao abrigo da luz e de oscilações bruscas de temperatura. As insulinas lacradas (aquelas que ainda não estão em uso), necessitam ser armazenadas em geladeira (temperatura entre 2 e 8ºC) e a data de validade a ser considerada, é a que está impressa na embalagem. Insulinas em uso: prazo máximo de validade de 45 dias, a partir da data da abertura (ver orientações na bula), e devem ser descartadas após esse período. Portanto, analise o tempo que ficará fora e a quantidade de insulina que irá usar durante o período. Dependendo da quantidade de unidades usadas diariamente, não é preciso refrigeração. Sobre o transporte de insulinas, no caso de deslocamentos cotidianos ou viagens curtas (< 6 horas), tanto a insulina reserva, quanto a insulina em uso, podem ser mantidas em temperatura ambiente, desde que não sofram oscilações de temperatura. Já em viagens longas (> 6 horas), caso haja oscilações bruscas de temperatura (<15º e >30º C), as insulinas precisam ser mantidas em bolsa térmica com gelo, e o gelo precisa ser trocado, para garantir a temperatura adequada. Em viagens de avião, levar a insulina junto com a bagagem de mão. Nunca deixá-la em porta-luvas, painel, bagageiro de carro ou ônibus; no avião, De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, recomenda–se colocar embaixo do banco.

Atenciosamente,

Enf. Kelly Rodrigues Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Olá, me chamo Millena e minha mãe é diabética, mas tenho uma dúvida, podemos aplicar insulina nela mas antes podemos passar o algodão molhado com álcool gel 70 graus bactericida da coperalcool?

Grata,

Millena Ferreira , São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Milena,

Pode-se usar o álcool gel, desde que seja o isopropílico 70%, pois, somente essa composição tem o poder bactericida necessário. Importante esperar que o álcool evapore completamente antes da aplicação. A lavagem das mãos e do local de aplicação com água e sabão são mais eficazes para a higienização.

Atenciosamente,

Kelly Rodrigues Enfermeira Educadora em Diabetes

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Boa tarde,

Minha amiga Gabriela (13 anos) tem diabetes tipo 1 e vai viajar para Boquira/BA no próximo dia 14. Minha preocupação é que ela utiliza-se de insulina que vem naquelas “canetinhas” e também ampolas que precisam de refrigeração. Gostaria de saber se vocês tem alguma dica para transporte dessa insulina (são aproximadamente 34 horas de viagem); gostaria também de saber se vocês conhecem posto de saúde mais próximo àquela região que forneça insulina.

Obrigada pela atenção.

Alessandra Duarte, São Paulo

RESPOSTA:

Prezada Alessandra,

As insulinas comercializadas atualmente são muito mais estáveis. A maioria se mantém própria para o uso mesmo fora de refrigeração por em média 30 dias, desde que, mantida em temperatura estável, sem grandes alterações e ao abrigo de luz solar direta (verifique a bula da insulina, pois, cada tipo tem a informação onde consta o tempo que a mesma pode ser mantida fora da geladeira). É muito importante que antes da viagem, seja feito o cálculo de quantos frascos / unidades de insulina serão utilizados durante o período que sua amiga estará viajando. Exemplo: Se ela faz aplicação de 30 unidades de insulina por dia, um frasco que tem mil unidades será o suficiente para 30 dias, já contando com possíveis perdas e uma caneta que tem 300 unidades seria o suficiente para 10 dias. Teoricamente não precisariam de refrigeração. Entretanto, como sabemos que as temperaturas são elevadas nessa época do ano, principalmente no norte e nordeste do país, seria interessante que pelo menos durante o transporte, os frascos e canetas fossem mantidos em bolsa térmica com placas de gelo reciclável. Lembrando sempre de utilizar uma placa de isopor ou papelão entre a placa de gelo e o recipiente da insulina, evitando assim, um possível congelamento. Boquira é um município composto por vários povoados, cada um deles tem um posto de saúde. Como seu e-mail não diz especificamente qual povoado ela irá ficar, colocarei aqui os principais, lembrando que muitos não tem número ou mesmo nome da rua. Posto de Saúde de Povoado de Brejo Novo Povoado de Brejo Novo, S/N Prédio – Pov de Brejo Novo – Boquira – BA Posto de Saúde da Família Nossa Senhora de Fátima R. Dep. Manoel Novais, S/N Prédio – Centro – Boquira – BA Posto de Saúde de Cachoeira Povoado de Cachoeira, S/N Prédio – Pov de Cachoeira – Boquira – BA Posto de Saúde de Forges Povoado de Forges, S/N Predio – Povoado de Forges – Boquira – BA.

Kelly Rodrigues ,Enfermeira Educadora em Diabetes e Coordenadora de Pesquisa Clínica

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Sou diabética há 14 anos e faço uso de insulina. Estou com fungos na unha do pé e ouvi dizer que existe tratamento com laser para esse problema. Moro no interior de São Paulo e gostaria de saber se é verdade que existe esse tratamento e se é mesmo eficaz, pois, segundo consta não há necessidade de tomar medicamentos orais, apenas o tratamento localizado (com o laser).

Muito obrigada,

Maria Dorna

RESPOSTA:

Bom dia, Maria, vamos a resposta a sua questão.

Bem, o uso de laser para o tratamento de micose das unhas ainda não tem comprovação científica, mas, baseado em experiência de colegas, esta é uma técnica que auxilia no tratamento deste problema, desde que seja aplicado por profissionais experientes nesta técnica, pois, pode ter conseguências, p.ex. queimadura local.. Mas, o mais importante é descobrirmos a causa para que ele não retorne, Portanto, sugiro que procure um especialista na área que pode ser um dermatologista e em conjunto faça um tratamento com um podólogo ou enfermeiro podiatra (enfermeiro especializado em pés) para que este lhe oriente quanto aos cuidados gerais e a correta aplicação da medicação antifungica local e façam uma limpeza da unha contaminada, diminuindo assim os fungos na unha e tornando mais eficiente o tratamento médico. Além do mais é importante, levantar a causa e lhe orientar para que não haja retorno da micose da unha.

Abraço,

Vera Ligia Lellis Jacob Enfermeira Podiatra Consultora da ANAD

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Boa Tarde!

Recebi informações sobre armazenamento dos frascos de insulina, e gostaria de confirmar a veracidade, para podermos orientar nossos pacientes. – A insulina que estiver em uso não necessita ficar em geladeira, procure um lugar fresco, limpo e que não pegue sol diretamente, para armazená-la. Elapode ser mantida entre 15 e 30 graus C. Ou na geladeira de 2 a 8 graus C. Neste caso o frasco deve ser retirado da geladeira de 10 a 20 min, antes da aplica- ção, reduzindo a irritação e dor no local da aplicação. – No site da ANAD não encontrei informações sobre a uso. Só das canetas.

Farm. Lucia Lemos da Silveira , Minas Gerais

RESPOSTA:

Bom dia Lucia!

Quanto à sua dúvida sobre o armazenamento das insulinas, a orientação da Sra. quanto às insulinas em uso, está adequada. Elas podem ser mantidas na geladeira (entre 2 e 8ºC), ou em temperatura ambiente (15 e 30ºC), em local fresco, ao abrigo da luz e de oscilações bruscas de temperatura. As canetas descartáveis de insulina também podem ser armazenadas tanto em geladeira (na prateleira acima da gaveta de legumes), quanto em temperatura ambiente. Já as canetas permanentes de insulina (canetas que precisam de substituição apenas do refil da insulina), não podem ser armazenadas em geladeira, devendo ser mantidas em temperatura ambiente. Caso esteja em geladeira, a insulina precisa ser retirada com 30 minutos de antecedência da aplicação, para evitar desconforto durante a aplicação. Sobre as insulinas lacradas (aquelas que ainda não estão em uso), essas necessitam ser armazenadas em geladeira (temperatura entre 2 e 8ºC) e a data de validade a ser considerada, é a que está impressa na embalagem. Importante: As insulinas em uso possuem prazo máximo de validade de 30 dias (verificar orientações da bula), e precisam ser descartadas após esse período. O descarte deve ser feito em drogarias ou postos de saúde.

Farm. Aline Benites Assistente de Educação em Diabetes

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Olá…

Ganhei um pacote de beleza corporal para fazer “sessões de lipocativação”, destinado a perder a gordura localizada na barriga. Sou magra, peso 58 kg, e tenho 1,67 de altura. Acontece que o local que faz a aplica- ção, diz que é proibido fazer em diabéticos e não me dizem porque. Entrei em sites e liguei em outros lugares que também me disseram a mesma coisa. Porém ninguém sabe dizer porque. Sou diabética tipo I, faço uso de insulina e tenho 47 anos. Gostaria de saber se realmente é proibido o diabé- tica fazer a LIPOCATIVAÇÃO E porque.

Desde já, agradeço a atenção.

Grata,

Regiane Borba

RESPOSTA:

Cara Regiane,

A lipocavitação não é proibida para o portador de diabetes, mas é contra-indiciada para os casos em que a doen- ça está mal controlada. Pode trazer complicações, pois o paciente possui alteração da sensibilidade e pode não sentir desconforto em casos de superaquecimento do aparelho. Isto dificulta o ajuste da potência adequada e gera efeitos indesejados.

Nathalie Ferrari Fisioterapeuta

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Bom dia!

Sou responsável pela distribuição de kits em um município e gostaria de uma orientação quanto a possibilidade de usar a agulha da caneta de aplicação de insulina mais de uma vez igual fazemos como as seringas.

Obrigada.

Renata Yoshizumi

RESPOSTA:

Olá Renata, Em resposta sobre o reuso de agulhas para caneta, segue uma orientação: Como enfermeiras, sabemos que para este produto, assim como as seringas para aplicação de insulina ou medicação intramuscular, não há comprovação científica sobre a possibilidade de uso por mais de uma vez, haja visto, que são produtos de uso único, como orientado pelos próprios fabricantes e ANVISA. E portanto, nós não temos respaldo de um órgão ou um estudo cientifico para sua indicação.

A agulha para caneta, além de ficar em contato com o refil de insulina e o meio ambiente, podem causar contaminação da medicação, e também provocar a entrada de ar no refil, ocasionando erro na dosagem da insulina, pois onde há ar, não há insulina e ao retirá-la da caneta, a mesma já não tem proteção na parte interior da agulha. Espero ter esclarecido sua dúvida e estou à disposição,

Jacqueline Martins Aguiar Enfermeira

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Bom Dia!

Me chamo Gustavo, sou enfermeiro e Coordenador da Atenção Primária à Saúde do município de Monte Alegre de Minas, estou elaborando os POP’s, no momento estou fazendo o de MONITORIZAÇÂO DA GLICEMIA CAPILAR, e estou com algumas dúvidas.

(1) – Estou encontrando referências que falam para realizar a assepsia com alcóol 70% no dedo que for colher o sangue, já outras referências falam que não se deve utilizar o alcóol, pois interfere no resultado, gostaria de saber o que a ANAD orienta?

(2) – Sobre os valores normais da glicemia capilar de jejum e pós jejum, estou encontrando três valores diferentes, gostaria também de saber quais são os valores que a ANAD segue?

Obrigado.

Atenciosamente,

V. Tannús

RESPOSTA:

Olá Gustavo,

Respondendo as suas duvidas. Quanto ao uso do álcool 70% – sempre damos preferência para a lavagem das mãos com água e sabão; apenas quando não há essa possibilidade e que usamos o álcool, nesse caso, devemos tomar cuidado para que na hora do teste ele tenha evaporado, evitando assim uma possível interferência no valor da glicemia. Lembro-lhe ainda que nos monitores mais modernos a interferência externa é mínima.

Quanto aos valores de referência – seguimos os parâmetros da ADA (Associação Americana de Diabetes) e SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes).

• Para diabéticos: Jejum < 110 mg/dl

• Pós prandial < 140 mg/dl

• Não diabéticos: Jejum < 99 mg/dl

• Pós prandial < 140 mg/dl

# Vale ressaltar que embora tenhamos valores de referência para um bom controle do D.M, esses parâmetros podem ser maiores ou menores a critério médico (dependendo do perfil do paciente).

Atenciosamente,

Kelly Rodriguês Enfermeira

—————————————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Oi pessoal da Anad,

Por favor me informem quais são os cuidados básicos que devo ter com os pés, pois eu tenho Diabetes, e preciso aprender como cuidar deles e impedir que se machuquem.

Aí na Anad tem podológo(a)?

Obrigada,

Soraia Correa , São Paulo

RESPOSTA:

Olá Soraia,

na Anad temos podológa sim.

Seguem alguns cuidados básicos que você deve ter com os pés.

1. Lavar os pés todos os dias com sabão neutro e água morna. Cuidado com a temperatura da água. Enxágüe bem entre os dedos.

2. Use diariamente loção ou cremes hidratantes. Retire o excesso e não use entre os dedos.

3. Apare as unhas com lixas em linha reta. Não utilize alicates, nem nada cortante.

4. Não tente remover calos ou verrugas com curiosos ou pedicures sem treinamento. Somente com profissionais treinados e orientação médica.

5. Não coloque seus pés de molho, a pele pode ressecar ou rachar.

6. Use sempre calçados fechados em qualquer época do ano, use sapatos confortá- veis para evitar bolhas e calos.

7. Verifique, sempre os sapatos antes de calça-los, use meias de algodão que ajudam a manter os pés secos. E não ande descalço mesmo dentro de casa.

8. Examine diariamente seus pés, caso não consiga, peça ajuda a alguém ou com auxilio de um espelho. Níveis altos de açúcar no sangue do diabético pode afetar nervos e a circulação das pernas.

Procure sempre uma equipe de saúde quando observar qualquer alteração.

Peça a seu médico que examine seus pés.

Sandra R. Oliveira C. dos Santos Podóloga da Anad

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Sou diabética tipo I e uso insulina. Meu médico me indicou a possibilidade do uso da bomba de insulina, mas teria que procurar um especialista. Gostaria de saber mais informações sobre este produto. Se com a bomba é possível usar dois tipos de insulina. Se eu tenho que calcular a dose ou é automático. Se a medição de glicose continuaria da mesma forma (via aparelho).

Obrigada

Nereide Vibiano

RESPOSTA:

Sra Nereide,

A Bomba de insulina é um método ajustável de administração de insulina no sub-cutâneo para pacientes com diabetes. É uma alternativa às múltiplas injeções diárias de insulina para atingir um melhor controle glicêmico e obter máxima flexibilidade no estilo de vida. As aplicações tradicionais com seringas descartáveis, 3 a 5 ou mais, dificultam a rotina diária de trabalho, de estudo, de lazer, viagens . Os horários das aplicações são rígidas sendo necessário obedecer horários, qualidade e quantidade das refeições, exercícios físicos, horários para acordar. Aplicar 3 ou mais injeções por dia causa um grande stress. Essa terapia com aplicações com seringas descartáveis utiliza, em geral, 2 tipos de insulina: uma de ação intermediária ou lenta e outra de ação rápida ou ultrarápida. Quando as injeções são aplicadas com seringas, é impossível interromper a sua ação.

O maior temor dos pacientes são as hipoglicemias e com a bomba de insulina esse risco é reduzido, pois a infusão de insulina é sempre em microdoses de 0,05U de cada vez, e pode ser interrompida a qualquer momento, quando necessário.

Com a Bomba de Insulina é diferente:

1. usa somente 1 tipo de insulina: insulina ultra-rápida. Sua ação é previsível e não sofre variação de ação. Age imediatamente ao aplicar.

2. utiliza uma cânula de teflon, fina e flexível, que é mantida no subcutâneo durante 3 dias. Uma aplicação no subcutâneo de 3 em 3 dias. Por ser fina e flexível é cômoda, confortável, sendo possível fazer todas as atividades diárias e de exercícios físicos sem comprometimento na infusão de insulina.

3. a bomba de insulina infunde insulina de 2 formas:

BASAL – quantidade pequena de insulina que é programado na bomba e é enviado durante 24 horas. São fracionadas, sempre, em micro-doses de 0,1 Unidade de cada vez.

BOLUS – é a insulina que deve ser enviada nas refeições. O bolus é enviado imediatamente após a sua programação.

Exemplo: antes do almoço, observar quantidade de carboidratos presentes, enviar a quantidade de insulina necessária para essa refeição. Igual a terapia com seringa, com o grande diferencial que não é necessário uma injeção. É só programar na hora da refeição a quantidade de bolus e a bomba de insulina inicia o envio imediatamente.

4. a bomba de insulina oferece outras vantagens no envio de basal e bolus. Os basais podem ser programados dependendo da necessidade, por exemplo: diminuir a quantidade durante exercícios físicos, aumentar a quantidade de insulina para pessoas que tem hiperglicemia noturna ou diminuir a insulina para quem tem hipoglicemia noturna. Assim, os riscos de hipoglicemias é muito reduzido. Os bolus também podem ser enviados de 3 formas diferentes dependendo da refeição. Por exemplo: refeição normal; durante uma festa (refeição mais prolongada); refeição tipo feijoada, pizza.

5. com a bomba de insulina, não existe rigidez de horários: ao acordar, nas refeições, prática de exercícios, nas viagens. A bomba oferece total flexibilidade na rotina. A pessoa com diabetes volta a ter controle das suas atividades.

6. a automonitorização da glicemia é fundamental para o sucesso da terapia com a bomba de insulina.

7. a bomba envia micro-doses de insulina ultra-rápida durante 24 horas, sem variação na absorção, isto é, sua ação é totalmente previsível. Aliada à automonitorização a terapia com bomba oferece um excelente controle glicêmico. A Bomba de Insulina tem várias programações de segurança, memória de quantidades de insulina enviadas e outras opções de programação para adequar as necessidades de cada paciente: controle remoto opcional, alarme sorono ou vibratório, luz de tela, envio de bolus através de sons, programação para evitar hipoglicemias, teste de segurança e muito mais.

A modelo Paradigm 522 / 722 é um sistema integrado de bomba de insulina com monitorização contínua de glicose do subcutâneo. Esta tecnologia avançada combina uma bomba de insulina “inteligente” com o novo benefício da monitorização contínua de glicose em Tempo Real, com uma leitura de glicose a cada 5 minutos, disponível na tela da bomba 2 gráficos de tendência e setas de direcionamento de velocidade de oscila- ção da concentração de glicose (todo o dia e toda noite). Desse modo, poderá descobrir como a refeição, os exercícios, os medicamentos e o estilo de vida afetam os níveis de glicose. Assim, a imediata visualização das oscilações facilitará atuar de imediato evitando as hipoglicemias e hiperglicemias. Para a leitura em Tempo Real é necessário o uso de um transmissor, chamado MiniLink, que é conectado a um Sensor de glicose. A transmissão dos dados de leitura do Sensor para a Paradigm ocorre por radiofreqüência. Desta forma, o usuário do Sistema Integrado ficará com uma cânula no subcutâneo para infusão da insulina e um sensor em outro local (também no subcutâneo), para a leitura da concentração da glicose. Este sistema oferece um acesso direto aos usuários aos seus pró- prios padrões de glicose podendo participar de seu tratamento facilitando as correções imediatas nas hipo e hiperglicemias e também auxiliar nos ajustes na terapia que deverão se efetuados pela equipe médica.

Lembramos que a terapia com bomba de insulina é uma indicação médica e que este sistema não substitui os testes de glicemia.

Atenciosamente,

Mieco Hashimoto , Enfermeira

—————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Equipe ANAD,

Gostaria de obter informações sobre a caneta para aplicar insulina.

Obrigada.

Maria Lídia, São Paulo

RESPOSTA:

Sra. Maria Lídia,

As canetas para aplicação de insulina, em sua maioria contêm refis de insulina adaptá- veis que são trocados após o término, ou fixos, onde a caneta também é descartada, após o fim do seu conteúdo (insulina). Estes refis contêm 3 ml, ou seja, 300 unidades de insulina, e desta forma ao iniciar o seu uso não necessitam de refrigeração, o que implica em maior comodidade na aplicação e transporte, pois têm a validade de até 28 dias em temperatura ambiente. Importante lembrar que as canetas para aplicação de insulina ajustam de maneira muito simples a dose a ser administrada, visto que, girando o êmbolo em uma de suas extremidades é possível ver graduado em números a quantidade de insulina desejada. Para cada marca (fabricante) de insulina existe uma caneta específica, desta maneira, o refil de insulina de uma determinada marca não se adapta a caneta de outro fabricante, além disso, é necessário adquirir agulhas próprias para caneta de aplicação.

Caso a senhora se interesse em utilizar canetas para aplicar insulina, leve a receita médica ao local de compra, ou na ANAD e será verificada a disponibilidade de caneta própria para o tipo de insulina em questão; e lembre-se de pedir informações, quanto ao manuseio da caneta, pois embora sejam parecidas, cada uma delas possui detalhes a ser informados.

Nós nos mantemos a disposição para mais esclarecimentos via email ou pessoalmente na ANAD.

Enf. Kelly Rodrigues

—————————————————————————————————————————————

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.