Melhora do Controle Glicêmico em Pacientes com Diabetes Mellitus Tipo 2 em Insulina Basal com o Controle da Glicemia Pós-Prandial com Uso de Lixisenatide

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Autores:

S. Paranjape1, W. Stager1, R. Berria2, L.A. Leiter3; 1ProUnlimited@Sanofi, 2Sanofi US, Inc., Bridgewater, USA, 3Li Ka Shing Knowledge Institute and Keenan Research Centre for Biomedical Science, St Michael’s Hospital, University of Toronto, Canada.

Fonte:

Congresso EASD 2015, em Estocolmo.

Histórico e Objetivos:

A lixisenatide é um agonista do receptor do peptídeo-1 similar ao glucagon de ação prandial. Dada a análise racional para combinar terapias complementares para melhorar o controle glicêmico, examinamos o impacto do uso de lixisenatide na obten- ção da meta de glicemia pós-prandial (PPG), e sua subsequente eficácia e segurança em pacientes com Diabetes Mellitus Tipo 2 (DM2) em uso de insulina basal. A hipótese foi que, ao atingir as metas de PPG com o uso de lixisenatide, aumenta-se a probabilidade de alcançar as metas HbA1c.

Materiais e Métodos:

Dados de estudos do GetGoal-L, GetGoal-Duo1, e GetGoal-L Asia foram analisados. Nestes estudos, pacientes com DM2 foram tratados com insulina basal mais lixisenatide,. Os pacientes (lixisenatide: n=587, 47% homem, peso médio 82 kg, HbA1c médio 8.1%; e placebo: n=484, 50% homem, peso médio 81 kg, HbA1c médio 8.1%) foram categorizados de acordo com os níveis de glicemia em jejum (FPG) na linha de base, <126 ou ≥126 mg/dL (<7.0 ou ≥7.0 mmol/L, respectivamente). Pacientes tratados com lixisenatide foram agrupados como PPG-respondedores (<180 mg/dL [<10,0 mmol/L]) ou PPG-não-respondedores (≥180 mg/dL [≥ 10,0 mmol/L]). Os dados foram derivados de meta-análise de efeito fixo, com pesos de variância inversa. Alterações na HbA1c e no peso foram analisadas usando análise de variância e a última observação conduzida na Semana 24.

Resultados:

Em ambas as categorias de FPG, mais pacientes DM2 tratados com lixisenatide alcançaram a meta de PPG versus placebo (<126 mg/dL [<7,0 mmol/L]: 55% vs. 18%; e ≥126 mg/dL [≥10,0 mmol/L]: 48% vs. 10%). Maiores reduções na HbA1c e no peso foram observadas em pacientes tratados com lixisenatide; a eficácia foi superior em pacientes que atingiram as metas PPG para ambas as categorias de FPG. Pacientes tratados com lixisenatide foram mais propensos a atingir HbA1c <7,0 e não apresentaram aumento do risco de hipoglicemia sintomática.

Conclusão:

Estes resultados suportam a hipótese que atingir metas de PPG com lixisenatide aumenta a obtenção da meta de HbA1c em pacientes DM2 em insulinoterapia basal e HbA1c mal controlada, destacando a importância do controle da PPG

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.