Terapia com Probióticos pode Mostrar Benefícios no Diabetes Tipo 2

Terapia com Probióticos pode Mostrar Benefícios no Diabetes Tipo 2
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Probióticos para Diabetes? Um estudo recente mostra melhorias na resistência à insulina e inflamação induzida por endotoxina após tomar suplementação probiótica, em comparação com placebo.

Nos últimos anos, tem havido um interesse crescente em entender o papel do microbioma humano nas doenças e quais fatores podem ser influenciados com o uso de prebióticos e probióticos. Os cientistas prevêem que a indústria emergente valha mais de US$ 64 bilhões até 2022. Independentemente desse interesse, há um conhecimento limitado sobre o uso de prebióticos e probióticos para o controle do Diabetes Tipo 2.

Shaun Sabico, MD, PhD, Arábia Saudita, mencionou em uma entrevista que, “As pessoas com diabetes alteraram a microbiota intestinal… A alteração do microbioma intestinal através da suplementação com probióticos multi-tensores pode melhorar a sensibilidade à insulina.”

O Dr. Sabico e colaboradores conduziram um estudo de um único centro, duplo-cego, randomizado e controlado por placebo que analisou dados de 61 adultos (35 mulheres) com um diagnóstico recente de Diabetes Tipo 2. Os participantes tinham idades entre 30 e 60 anos e foram recrutados entre janeiro de 2014 e fevereiro de 2016 no ambulatório do Hospital King Salman, em Riad. Os participantes receberam aleatoriamente saches de 2 gramas de  probiótico liofilizado, que incluiu oito cepas probióticas (n=31; idade média de 48 anos; IMC médio de 29,4 kg/m2) ou sachês de placebo contendo 2 gramas de amido de milho seco e maltodextrinas (n=30; idade média de 47 anos; IMC médio de 30,1 kg/m2) duas vezes por dia antes do café da manhã e da hora de dormir durante  6 meses. As medidas de altura, peso, pressão arterial, cintura e quadril, IMC e relação cintura-quadril foram calculadas no início do estudo, 3 meses e 6 meses, bem como os níveis de glicose e perfil lipídico. A resistência à insulina também foi medida.

Os níveis circulantes de endotoxina foram o desfecho primário do estudo e os parâmetros glicêmicos, perfil lipídico, inflamatório e marcadores de adipocitocina foram os desfechos secundários.

Aos 3 meses e 6 meses, o grupo probiótico foi favorecido depois que os pesquisadores observaram diferenças percentuais de mudança no Homa-IR (3 meses 0% vs. -60,4%; 6 meses 20,5% vs. 64,2%). Dentro de comparações de grupo, todos os marcadores inflamatórios mostraram melhora ao longo do tempo no grupo probiótico. Não foram observadas diferenças entre os grupos para marcadores lipídicos, embora tenham sido observadas melhorias no triglicérides, no colesterol total e no colesterol HDL no grupo de probióticos.

Para comparações dentro do grupo, uma diminuição média (-58,1%) nos níveis de resistina desde o início até aos 6 meses foi observada no grupo probiótico (P<0,05) e um aumento médio (38,1%) nos níveis de endotoxina aos 6 meses vs. 3 meses no grupo placebo. No grupo que tomou probióticos, os níveis de endotoxina melhoraram  (diminuição média aos 6 meses -69%) e os níveis de adiponectina (aumento médio aos 6 meses, 71,8%).

“Nosso estudo é, até onde sabemos, o primeiro a demonstrar os efeitos de um suplemento probiótico de múltiplas cepas administrado durante 6 meses na população árabe [Diabetes Tipo 2], usando a endotoxina como desfecho primário”, escreveram os pesquisadores. “Também é importante ressaltar que a suplementação de probióticos no presente estudo foi usada como um tratamento independente dado na ausência de exercício e modificações relacionadas à dieta na intervenção ou controle de estilo de vida em uma cultura com fácil acesso aos alimentos.”

Os pesquisadores acrescentaram que o tamanho da amostra usado neste estudo foi pequeno e os participantes que estavam no grupo de probióticos foram menos metabolicamente saudáveis quando comparados ao grupo placebo.

“A suplementação com probióticos de múltiplas estirpes pode ser benéfica para a prevenção da Diabetes e como terapia adjuvante para pessoas com Diabetes, reduzindo assim os custos com a saúde”, afirma o Dr. Sabico.

Pontos Relevantes:

  • 61 participantes recentemente diagnosticados com DM2 foram incluídos no estudo e receberam 2 gramas de  probiótico ou placebo duas vezes ao dia por 6 meses.
  • Os participantes que tomaram probióticos mostraram uma melhora na resistência à insulina, bem como nos níveis de endotoxina e adipocina inflamatória.
  • A suplementação de probióticos com múltiplas cepas pode ser benéfica para a prevenção do Diabetes e como terapia adjuvante para pessoas com Diabetes, reduzindo assim os custos com a saúde.

Referência:

Sabico S, et al. “Effects of a 6-month multi-strain probiotics supplementation in endotoxemic, inflammatory and cardiometabolic status of T2DM patients: A randomized, double-blind, placebo-controlled trial.” Clin Nutr 2018; doi:10.1016/j.clnu.2018.08.009.

Fonte: diabetes in control, 29/09/2018.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Compartilhar: