Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica (NAFLD) Poderia Aumentar o Risco de Danos a Outros Órgãos

Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica (NAFLD) Poderia Aumentar o Risco de Danos a Outros Órgãos
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Cientistas alemães demonstraram como a doença hepática gordurosa não alcoólica (NAFLD) pode aumentar o risco de danos a outros órgãos.

Ter NAFLD já é conhecido por aumentar o risco de Diabetes Tipo 2, doenças hepáticas crônicas e doenças cardiovasculares. Os depósitos gordurosos no órgão parecem afetar secreções do fígado, resultando em produção de mais glicose e gorduras desfavoráveis. No entanto, não ficou claro quais outros órgãos seriam mais afetados pela NAFLD e o que isso poderia causar.

liver

Para encontrar uma solução, cientistas da Universidade de Tübingen exploraram o papel de uma proteína chamada hepatoquina  Fetuina-A. Esta proteína é cada vez mais produzida por fígados gordurosos e depois liberada na corrente sanguínea.

Os pesquisadores decidiram analisar o efeito que  Fetuina-A teve no tecido pancreático. Eles descobriram que o tratamento de células de gordura pancreática com Fetuina-A levou a uma inflamação aumentada e aumento da ameaça das células imunes. Além disso, uma análise de amostras de tecido descobriu que as células de defesa do sistema imunológico foram significativamente aumentadas em áreas onde as células adiposas se haviam acumulado.

Para explorar ainda mais esse efeito, examinaram 200 pessoas com maior risco de Diabetes Tipo 2 e mediram a gordura pancreática.

Aqueles com menos controle de glicose no sangue aumentaram a degeneração da gordura pancreática e os pacientes com uma combinação de fígado gorduroso e degeneração gordurosa no pâncreas experimentaram uma reação imune que desencadeou a aceleração da Diabetes Tipo 2.

Os pesquisadores disseram que foi o efeito da proteína Fetuina-A que levou a “mudanças patológicas”, incluindo uma restrição da função renal. Enquanto o tecido adiposo não é prejudicial em algumas partes do corpo, dentro do fígado, o tecido adiposo torna-se perigoso e produz Fetuina-A, que provoca processos inflamatórios.

“A afirmação de que a obesidade em si sempre tem um efeito causador de doenças é muito imprecisa”, disse o autor do estudo, o professor Hans-Ulrich Häring“. Até que outros parâmetros tenham sido determinados, como níveis de fígado gorduroso e hepatoquina, bem como as mudanças induzidas em outros órgãos, podemos obter indicações mais exatas sobre se uma pessoa tem um risco de doença maior ou não.”

Os resultados foram publicados no jornal on-line Diabetologia.

Fonte: Diabetes News – diabetes.co.uk , de 21/08/2017.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.