Atividade Física

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

PERGUNTA:

Gosto muito de fazer exercícios, mas tenho Diabetes e normalmente fico com hipoglicemia.

Sou diabético tipo 1, mas não quero virar sedentário pois ainda sou novo. Qual é a recomendação que vocês me dariam para conciliar as duas coisas.

Obrigado!

Manuel Augusto, São Paulo

RESPOSTA:

Bom dia Manuel.

A hipoglicemia a que você se refere é consequências de dois fatores: o exercício e a insulina.

Converse com seu médico a respeito da possibilidade de diminuir a dose de insulina que estará agindo no momento do exercício. Outra possibilidade é ingerir carboidratos de rápida absorção durante a sessão de treino.

De qualquer maneira, indico a você considerar as seguintes dicas:

• Converse com seu médico e com seu nutricionista sobre sua escolha por adotar uma rotina de exercícios. Eles irão ajustar a dieta e a medicação para esta mudança em seu estilo de vida.

• Um profissional da Educação Física especializado em Diabetes fará diferença na prescrição e no acompanhamento de sua rotina de exercícios.

• Combinar exercícios aeróbios com resistidos é mais eficiente para o controle glicêmico a médio prazo.

• O ideal é um programa de 3 vezes por semana, em dias intercalados.

Boa sorte e parabéns pela mudança em seu hábito de vida.

Prof. Cláudio Cancelliéri ,Coord. do Depto. Atividade Física Anad

———————————————————————————————————————————————————————————————————————————–

PERGUNTA:

Gostaria de tirar dúvidas. Eu sou diabético e treino jiu-jitsu, sou faixa preta.Como faço para poder abaixar minha glicose que é em torno de 490 à 500 mg/dL? Eu trabalho à noite muito obrigado!
“Donizete Gomes,São Paulo”

RESPOSTA:

Bom dia Donizete! Agradeço o contato e sempre pode contar com ANAD.
Com relação a sua pergunta,infelizmente desaconselho a realização de exercícios físicos com esta glicemia. Salvo em raras situações, o que observamos em atletas que iniciam o treinamento com valores assim, principalmente em atividades de explosão e força, é uma elevação da glicemia ao final do treino ou uma queda inexpressiva. O protocolo nos diz que você deve corrigir a glicemia e iniciar o treino com glicemia abaixo de 150 mg/dL.
Vale lembrar que, em hiperglicemia como a sua, o organismo continuará a utilizar gordura como fonte de energia mas liberará glicose pelo fígado, contribuindo para a elevação da glicemia ao invés da queda. Claro que há outros fatores,como a insulina circulante e a alimentação anterior ao treino, por exemplo, que alteram esta fórmula. Além disto, exercitar-se com glicemia elevada diminui seu rendimento e aumenta a sensação de fadiga. Espero ter ajudado.
Abraço,
Prof. Cláudio Cancelliéri
Coord. Dep.Atividade Física da Anad

——————————————————————————————————————

PERGUNTA:

Primeiramente agradeço a oportunidade de esclarecer dúvidas através dos profissionais da Anad. Sou diabético tipo 2 desde 2012. Faço acompanhamento trimestral com endocrinologista, mensal com nutricionista e musculação e aeróbica 5 vezes por semana em academia com educador físico. Minha hemoglobina glicada está em 5,5. E glicose em jejum variando entre 90 e 102 (por enquanto não utilizo nenhum medicamento). Minha dúvida: ao final de 2012 tive uma exaustão intensa. Acredita-se overtraining. Hoje estou com episódio similar. Os exames laboratoriais não acusaram nada. Pode ser fadiga crônica? Diabético pode suplementar com glutamina? Tanto o endócrino, quanto a nutricionista que me acompanham não são especializados em esporte, então, sempre fica a dúvida. Preciso de ajuda. Obrigado.

Breno V. de Carvalho

RESPOSTA:

Breno,

Inicialmente gostaria de parabenizá-lo pelo excelente controle do Diabetes. Sua atitude deve ser repassada e utilizada como fonte de inspiração a outros. Quanto à sua dúvida, não tenho informações suficientes, mas algumas idéias que descrevo abaixo podem ajudar.

1. O sobretreinamento pode sim ser causa de sua fadiga, uma vez que nosso organismo necessita de tempo para recuperação do estresse sofrido na sessão anterior. Se for este o caso, intercalar treinos de resistência e aeróbios podem ajudar na recuperação e na prevenção.

2. Glicemias elevadas durante a sessão aumentam a fadiga e diminuem a capacidade de suportar o treino. Os treinos de resistência elevam a glicemia e, se você consome um lanche pré treino para evitar hipoglicemias, esta hiperglicemia pode explicar a fadiga. Para eliminar esta hipótese, basta aferir a glicemia durante ou após o treino de resistência.

3. Por fim, a respeito da suplementação, não vejo motivo para isto, uma vez que mudanças sutis no treino e/ou na alimentação podem suprir suas necessidades. Outrossim, apenas após uma avaliação médica é que podemos apontar a inclusão de qualquer suplemento. E lembre-se: o objetivo de seu treino é melhorar a qualidade de vida e controlar a glicemia.

Bom controle,

Prof. Cláudio Cancelliéri , Coord. do Depto. Atividade Física Anad

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Boa noite!

Sou diabética do Tipo 1 e pratico musculação há um ano. Nos últimos treinamentos para hipertrofia não tenho visto resultados, o que devo fazer? Faço consultas regulares com a nutricionista que adequou meu cardápio ao treinamento.

Atenciosamente.

Isis Cavalcanti ,São Paulo

RESPOSTA:

Sra. Isis,

Parabéns pela iniciativa de manter-se fisicamente ativa. A prática regular de exercí- cios físicos é um dos pilares do tratamento e prediz que você tem um controle adequado da glicemia. Vale lembrar a importância da aferição da glicemia antes, durante e depois da sessão de exercícios. Estudos apontam que o ganho de massa muscular é menor no individuo portador de Diabetes, podendo ser a causa de sua dificuldade na hipertrofia muscular.

Outros pontos que merecem ser analisados e que, direta ou indiretamente, auxiliam na hipertrofia muscular são:

• Dieta adequada

• Manutenção de glicemia dentro da zona alvo (determinada em conjunto com o médico)

• Intensidade e séries de exercícios apropriados intercalados com exercícios aeróbios de períodos de descanso

Por último, mas nem por isso menos importante, a hipertrofia muscular promove melhora a médio e longo prazo da média da glicemia. No entanto, o exercício aeróbio deve ser priorizado e o treino de resistência deve sempre objetivar o peso de massa magra estabelecido pelo médico, nutricionista e/ou pelo profissional da Educação Física a partir das avaliações antropométricas, que devem ser feitas regularmente.

Boa sorte e bom controle.

Cláudio Cancellieri Coordenador Depto. Atividade Física Anad

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Gostaria de saber se há algum risco da prática de musculação pelo DMT1?

Isis Cavalcanti ,São Paulo

RESPOSTA:

Isis,

Esta pergunta é muito interessante e requer uma resposta complexa. Porém vou tentar responder e orientá-la de um modo simples, sem linguajar científico. A musculação, ou melhor, o treino de resistência muscular é muito importante para o portador de Diabetes mas seus benefícios são a médio e longo prazo. O aumento da massa muscular (do músculo) provo-me uma maior necessidade de glicose (açúcar) durante o dia – mesmo após o treino – o que conduz a menor necessidade de medicamento após algumas semanas. Vale lembrar que o exercício resistido deve ser mesclado com exercício aeróbio (caminhada, natação, cilcismo, entre outros) e deve ser prescrito por profissional da Educação Física capacitado para orientar e prescrever para o portador de Diabetes , principalmente o DM Tipo 1. Embora suas vantagens superem os riscos, a musculação não deve, em hipótese nenhuma, ser realizada sob orientação de profissional desqualificado, pois o risco de descontrole da glicemia é alto. O primeiro passo é conversar com o endocrinologista que o(a) acompanha para avalia- ção do estado geral de saúde. Se houver alguma complicação associada, em especial retinopatia diabética proliferativa, a musculação pode ser desaconselhada. Ainda assim, após liberação médica, o profissional que o (a) acompanhará deverá considerar apenas exercícios de resistência e potência, excluindo as séries de força pura, desnecessárias para ganho de massa muscular com objetivo de melhoria do controle glicêmico. Nossa experiência mostra que o exercício resistido seguido do exercício aeróbio produz melhor resultado que o inverso. E, para finalizar, lembre-se de realizar medições de glicemia antes, durante e após a atividade física. Com isso é possível evitar oscilações da glicemia e pricipalmente hipoglicemia.

Prof. Cláudio Cancelliéri Dir. Depto. Atividade Física da Anad

——————————————————————————————————————-

 
PERGUNTA:

Profissionais da Anad,

Tenho Diabetes e estou acima do peso.

Meu médico disse que eu preciso fazer exercícios e eu já comecei um plano alimentar. Até agora não encontrei um professor de educação física que me oriente sobre exercícios. Peço a vocês um roteiro básico para um homem de 38 anos, DMT2, tomo metformina.

Obrigado.

Silvestre Smidht, Rio de Janeiro

RESPOSTA:

Caro Silvestre,

Para o auxílio no tratamento do diabetes, a prática de exercícios de categoria aeróbia são os mais indicados pelos consensos da ADA (American Diabetes Association), e pelo ACSM (American College of Sports Medicine).

Estes têm como características básicas exigir uma demanda maior de oxigênio nas células durante a execução dos mesmos.

Também aparecem como exercícios de intensidade moderada e com tempo de execução mais prolongado. Mas afinal quais são esses exercícios?

Os melhores exemplos que podemos citar são as caminhadas e a natação, que são os mais populares, mas há outras como a dança de salão e o ciclismo, etc.

Para realizar uma prescrição de exercícios eficientes e seguros, um bom profissional de educação física deve questioná-lo sobre seus antecedentes cardiovasculares e se possível verificar se você tem um teste ergométrico recente, isso porque quem tem diabetes tem maior possibilidade de apresentar problemas cardíacos e circulatórios.

O melhor seria você ir a uma academia e ser supervisionado de perto durante o trabalho físico, mas como você pede uma orientação para um trabalho físico não supervisionado o que entendo é que devo indicar a orientação da OMS (Organização Mundial de Saúde), que indica que você deve praticar qualquer atividade física com intensidade moderada, aquela que não é lenta demais e nem aquela que é rápida demais, ou seja, aquela que te dá uma sensação de ofegância, mas que ao mesmo tempo não o impede de falar, e isso por trinta minutos e pelo menos cinco vezes por semana.

Pode ser uma caminhada de rua de 30 minutos por exemplo. Isso já vai te trazer alterações metabólicas muito importantes como redução de gordura visceral (aquela que envolve nossos órgãos internos), ou glicose plasmática (o açúcar presente em seu sangue), e sem dúvida é uma forma segura de iniciar um trabalho físico, pois você mesmo regula o ritmo conforme seu nível de cansaço.

De qualquer forma fazer alongamentos antes e depois sempre é importante, e observar dores nas pernas ou no peito, sudoreses estranhas, falta de ar, diminuição da audição ou turvamento da vista, ou qualquer outro sintoma estranho podem lhe ajudar a evitar imprevistos.

Não deixe de fazer suas consultas regulares com seu médico.

Pedro Bortz Profº. de Educação Física

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Anad,

Quando eu faço ginástica eu posso tomar Insulina normal, ou devo mudar horário para antes ou depois, ou a dose? Tem alguma orientação especifica para quem faz esporte?

Eu fiquei diabético agora e estou tomando Insulina, não quero parar com o esporte mas às vezes me sinto mal, fraco, tonto e confuso.

O que fazer?

Gionavani Lazaar, Paraná

RESPOSTA:

Prezado Gionavani,

Pelo seu relato, o que você está sentindo ao realizar a sessão de exercícios é hipoglicemia, provavelmente advinda da ação hipoglicemiante do medicamento e do exercício. Algumas opções para evitar a hipo durante e após a realização da atividade física é ingerir carboidratos antes, durante e/ou após a sessão de treino. Outra opção é diminuir a dose de Insulina que esta agindo no momento da atividade. Para que você posa realizar uma prática segura deve buscar orientações com seu médico sobre insulina que administra, dosar a glicemia antes, durante e após a atividade e, como atitude mais segura, buscar acompanhamento de um profissional da educação física especializado em Diabetes.

Profº. Cláudio Cancellieri Profº. de Educação Física

——————————————————————————————————————-

PERGUNTA:

Boa tarde!

Eu sou aluno do curso de Educação Física em Presidente Prudente do 3º ano e tenho um seminário sobre diabetes. Eu gostaria de saber, principalmente, que tipo de exercícios físicos que são mais indicados para pessoas portadoras dessa doença!

Desde já, grato

Lucas Avila Carreri

RESPOSTA:

Prezado Lucas,

Esta é uma pergunta muito ampla para ser respondida de uma forma simples e objetiva, pois é necessário analisar qual o tipo de diabetes do aluno, se existe alguma patologia associada, quais medicamentos estão sendo ministrados e principalmente qual a atividade que mais lhe agrada e que o aluno está apto a praticar.

Porém, para que possamos ter melhores resultados na redução das taxas de glicemia, devemos orientar nosso aluno para a prática de atividades que utilizem uma grande quantidade de músculos, com uma intensidade moderada.

Sendo assim, mais glicogênio será solicitado e conseqüentemente, haverá uma queda nas taxas de glicose sanguínea. Mas é necessário uma atenção muito grande, poiso aluno pode ter hipoglicemia durante e após o exercício, como também aumento da glicemia caso exista a presença de corpos cetônicos.

Espero ter lhe ajudado e sucesso em seu seminário.

Prof. Luiz Americo Bravo

——————————————————————————————————————-

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.