Standards of Medical Care in Diabetes — 2015: Resumo das Revisões

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Fonte: http://care.Diabetesjournals.org

Mudanças Gerais

O Suplemento 1 da Diabetes Care era chamado anteriormente de Clinical Practice Recommendations e incluíam as “Standards of Medical Care in Diabetes” e declarações de posicionamento da American Diabetes Association (ADA).

O suplemento foi renomeado para Standards of Medical Care in Diabetes (Normas de Assistência Médica ao Diabetes) e contém uma única declaração de posicionamento da ADA que fornece recomendações para práticas clínicas baseadas em evidências para o tratamento do Diabetes. Enquanto os “Standards of Medical Care in Diabetes—2015” ainda deveriam ser vistos como um único documento, eles têm sido divididos em 14 sessões, cada uma individualmente referida, para destacar áreas e tópicos importantes e facilitar a compreenção.

O suplemento agora inclui um índice para auxiliar os leitores a encontrar informações sobre tópicos em particular.

Alterações de Seção

Embora os níveis de evidência para as várias recomendações tenham sido atualizados, estas alterações não estão incluídas abaixo já que as recomendações permanecem as mesmas. Alterações de nível de evidência de, por exemplo, C para E não estão referidos abaixo.

Os “Standards of Medical Care in Diabetes—2015” contêm, além de muitas pequenas alterações que explicam as recomendações ou refletem novas evidências, as revisões mais importantes a seguir:

Seção 2. Classificação e Diagnóstico do Diabetes

O ponto de corte de IMC para o screening de pré- Diabetes e Diabetes do Tipo 2 em pacientes asiático-americanos com sobrepeso ou obesidade mudou de 23kg/m2 (contra 25kg/m2 ) para refletir a evidência de que esta população está em risco aumentado de apresentar Diabetes em menores valores de IMC, se comparados à população geral.

Seção 4. Fundamentos de Assistência:

Educação, Nutrição, Atividade Física, Abandono do Tabagismo, Assistência Psicossocial e Imunização A seção de atividade física foi revisada para refletir a evidência de que todos os indivíduos, inclusive aqueles portadores de Diabetes, deveriam ser estimulados a limitar a quantidade de tempo que passam sendo sedentários ao fragmentar longos períodos que passam sentados (>90 min.).

Devido ao aumento no uso de cigarros eletrônicos, as Recomendações foram atualizadas para deixar claro que cigarros eletrônicos não são apoiados como uma alternativa para o tabagismo ou para facilitar o abandono do mesmo. As recomendações acerca de imunização foram revisadas a fim de refletir as orientações recentes dos Centers for Disease Control and Prevention em rela- ção às vacinas PCV13 e PPSV23 em idosos.

Seção 6. Alvos Glicêmicos

A ADA agora recomenda um alvo glicêmico pré-prandial de 80-130mg/dL, em vez de 70-130mg/dL, a fim de melhor refletir os novos dados comparando os níveis glicêmicos efetivos com os alvos A1C. Para fornecer orientações adicionais para a implementação bem sucedida de monitorização contínua da glicemia (CGM), as Recomendações incluem novas orientações para a avaliação do preparo do paciente e suporte durante o exame para o CMG.

Seção 7. Abordagens para o Tratamento Glicêmico

O algoritmo de manutenção do Diabetes do Tipo 2 foi atualizado para refletir todas as terapias atualmente disponíveis para o tratamento do Diabetes.

Seção 8. Tratamento do Risco de Doença Cardiovascular

A meta recomendada para pressão diastólica foi alterada de 80 mmHg para 90 mmHg para a maioria das pessoas portadoras do Diabetes e hipertensão para melhor refletir as evidências de estudos clínicos randomizados. Alvos diastólicos mais baixos ainda podem ser apropriados para determinados indivíduos. As recomendações para tratamento com estatina e monitorização de lípides foram revisadas após consideração sobre as orientações da American College of Cardiology/American Heart Association de 2013 sobre o tratamento de dislipidemia. O início do tratamento (e a dose inicial de estatina) é agora determinado principalmente pelo status de risco, ao invés do nível de colesterol LDL. Considerando-se as novas recomendações para o tratamento com estatina, as Recomendações agora fornecem a seguinte orientação para monitorização dos lípides: avaliação do perfil lipídico é razoável no diagnóstico do Diabetes, em uma avaliação médica inicial e/ou aos 40 anos de idade e então periodicamente.

Seção 9. Complicações Microvasculares e Cuidados com os Pés

A fim de melhor identificar os pacientes em risco de complicações nos pés, as Recomendações enfatizam que todos os pacientes com insensibilidade, deformidades ou histórico de úlceras nos pés tenham seus pés examinados a cada visita.

Seção 11. Crianças e Adolescentes

Para refletir as novas evidências à respeito dos riscos e benefícios de um controle glicêmico rigoroso em crianças e adolescentes portadores de Diabetes, agora é recomendado alvo de A1C de <7,5% para todos os grupos etários pediátricos; entretanto, a individualização ainda é incentivada.

Seção 12. Gerenciamento do Diabetes durante a Gravidez

Esta nova seção foi adicionada às Recomendações para fornecer orientações relacionadas à gravidez e Diabetes, incluindo recomendações acerca de aconselhamento pré-concepção, medicamentos, alvos glicêmicos e monitorização glicêmica.

© 2015 pela American Diabetes Association. (Associação Americana do Diabetes).

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.