Tratamentos Diabéticos sobre Doenças Oculares

Tratamentos Diabéticos sobre Doenças Oculares

Os tratamentos medicamentosos atuais para retinopatina diabética (DR) e edema macular diabético (DME) visam inibir uma molécula chamada fator de crescimento endotelial vascular (VEGF) ou empregar esteroides para tratar amplamente mediadores inflamatórios presentes em DME e DR.

Os medicamentos anti-VEGF atualmente incluem Avastin, Lucentis e Eylea, enquanto os tratamentos à base de esteroides incluem acetonida triamcinolone, Ozurdexe Illuvien. Muitos pacientes precisam de injeções frequentes desses medicamentos, e alguns experimentam piora de sua visão ou sua DR, apesar do tratamento com esses agentes.

Dadas essas limitações, estão em andamento ensaios clínicos para avaliar novas terapias que poderiam fornecer efeito terapêutico por uma duração mais longa e/ou atingir outros caminhos. Aqui resumimos várias dessas terapias sob investigação, focando principalmente em ensaios clínicos em estágio final (Fases 2 e 3).

  • BEOVU ( NOVARTIS): Beovu (brolocizumab) é um fragmento de anticorpo inibidor do VEGF. O tamanho menor da medicação e maior concentração molar permitem que ele tenha um forte efeito no tratamento do fluido e potencialmente maior duração da ação.

Dados de um estudo da Fase 3 que avalia a medicação para degeneração macular relacionada à idade úmida (AMD) mostraram que mais da metade dos pacientes foram capazes de continuar em um regime de dosagem de 3 meses com Beovu até 1 ano.

No entanto, há preocupações de segurança com este medicamento devido à inflamação intraocular e vasculite de retina oclusiva ocorrendo em alguns pacientes que recebem a medicação para AM.

  • SISTEMA DE ENTREGA DE PORTAS (GENENTECH) :Este tratamento consiste em um pequeno dispositivo recarregável que armazena e libera continuamente a medicação anti-VEGF no olho por difusão, tomando o lugar de injeções frequentes.

O dispositivo é implantado cirurgicamente na parede do olho. O implante minúsculo pode então ser reabastecido no escritório com medicação conforme necessário. Estudos atuais que avaliam pacientes com AMD úmida mostraram que a maioria dos pacientes poderia passar 6 meses antes de precisar de retirada.

Estão em andamento a inscrição para ensaios clínicos da Fase 3 que avaliam este dispositivo para uso em pacientes com DME e DR.

  • FARICIMAB (GENENTECH): Faricimab inibe duas vias que levam ao crescimento anormal dos vasos sanguíneos e ao vazamento: Liga e inativa uma molécula chamada angiopoietina-2 (Ang-2), além da molécula VEGF que os medicamentos atuais inibem.

O objetivo desta dupla inibição é potencialmente melhorar os resultados e a durabilidade do tratamento. Um estudo fase 2 comparando faricimab com Lucentis mostrou melhores ganhos de acuidade visual com faricimab, bem como melhorias na gravidade da DR.

Além disso, este estudo mostrou que muitos pacientes que recebem faricimab poderiam ir até 12 ou até 16 semanas antes de necessitarem de retirada, diminuindo a carga de tratamento frequente para esses pacientes. Dois ensaios clínicos da Fase 3 avaliando faricimab para DME estão em andamento.

  • KSI-301 ( KODIAK SCIENCES):KSI-301 é uma droga anti-VEGF especialmente formulada chamada conjugado de polímero de anticorpos. Espera-se que a medicação fique ao redor do olho por mais tempo e entregue uma dose maior de medicação com uma injeção.

Estudos em estágio inicial da medicação mostraram que mais de 70% dos pacientes com DME foram capazes de passar mais de 4 meses sem precisar de recuo após três doses iniciais de carregamento. Ensaios maiores avaliando a droga para uso em DME e DR estão em andamento.

  • SUNITINIB (VISÃO GRAYBUG): Sunitinib é um medicamento de depósito especialmente formulado que se dissolve lentamente ao longo do tempo no olho. Este medicamento é um inibidor de tyrosine quinase que bloqueia receptores VEGF.

Depois que a medicação é injetada, suas pequenas partículas se agregam ou se mantêm juntas e lentamente liberam ao longo do tempo, permitindo a possibilidade de um efeito de tratamento prolongado. Estudos em estágio inicial mostraram que a medicação pode durar até 6 meses na maioria dos pacientes com AMD molhada. A medicação está atualmente em um teste de Fase 2 para pacientes com DME.

  • OPT-302 (OPTHEA): O OPT-302 inibe o VEGF-C e o VEGF-D e foi projetado para ser usado em combinação com as terapias existentes, que visam VEGF-A ou VEGF-A e B. A lógica é que bloquear membros adicionais da família VEGF produzirá um efeito anti-VEGF mais potente e duradouro.

Dados preliminares de um estudo em andamento na Fase 2a sugerem que a terapia de combinação com Eylea e opt-302 intravitreal produz resultados de visão superiores do que o tratamento com Eylea apenas nos olhos com DME. Os ensaios da fase 3 podem ser realizados no futuro.

  • EMIXUSTAT ACUCELA): Emixustat é um modulador de ciclo visual que visa retardar a progressão da DR. Ao contrário de outras drogas para DR, esta droga é administrada pela boca em vez de uma injeção no olho. Um pequeno estudo fase 2 de emixustat em pacientes com DR demonstrou alguns efeitos promissores. Mais estudos estão sendo planejados.

 

  •  THR-149 9OXURION) :THR-149 inhibits the plasma kallikrein-kinin system. This approach is appealing because it is distinct from the VEGF pathways targeted by existing drugs. A Phase 1 study in patients with DME demonstrated that the drug was safe and well-tolerated, and it resulted in vision improvements which were maintained up to 90 days after treatment with a single intravitreal injection. A Phase 2 trial is underway.

 

  •  THR-697( OXURION): THR-687 inhibits the integrin pathway, which is thought to play an important role in DR, in part through its effects on the VEGF pathway. A Phase 1 study in patients with DME demonstrated that the drug was safe and well-tolerated, and it resulted in vision improvements which were maintained up to 90 days after treatment with a single intravitreal injection. A Phase 2 trial is anticipated soon.

 

  • GENE THERAPY: Gene therapy works by delivering a gene that encodes a therapeutic protein (e.g., anti-VEGF) to create an intraocular biofactory that then continues to produce that protein.

Esta abordagem pode fornecer níveis mais consistentes e sustentados de terapia anti-VEGF do que os que podem ser alcançados com injeções repetidas de medicamento no olho com o objetivo de reduzir drasticamente a carga de tratamento.


RGX-314 (Regnexbio) está sendo avaliado para parto subretinal cirúrgico e parto suprachoroidal em consultório para AMD molhado, e um teste de Fase 2 para pacientes DR também está em andamento. ADVM-022 (Adverum Biotechnologies) está atualmente avaliando uma injeção intravitreal no escritório para fornecer terapia genética para DME em um teste de Fase 2 em andamento.

CONCLUSÃO :

Embora os agentes anti-VEGF existentes sejam muito eficazes no tratamento de DR e DME no paciente médio, alguns pacientes continuam a perder a visão apesar da terapia, muitos pacientes necessitam de injeções frequentes, e alguns experimentam piora de sua DR subjacente, apesar do tratamento adequado com medicamentos de geração atual.

Novas drogas que produzem um efeito anti-VEGF mais robusto e/ou de ação mais longa ou que visam novos caminhos além do VEGF têm promessa significativa de melhorar a visão e a vida de pacientes com doença ocular diabética.

Fonte: OBN – Ophthalmology Breaking News – Por: Administração , 25 de fevereiro de 2021

” Os artigos aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e respectivas fontes primárias e não representam a opiniãoda ANAD/FENAD “

Compartilhar: